Especial de Natal do Porta dos Fundos ganha repercussão internacional

Setores mais conservadores pediram o impedimento do vídeo, que retrata Jesus Cristo de forma pouco convencional

0
3726
Duvivier e Porchat em ‘A primeira tentação de Cristo’, da Netflix (Foto: Divulgação)
Duvivier e Porchat em ‘A primeira tentação de Cristo’, da Netflix (Foto: Divulgação)

DA REDAÇÃO – “A Primeira Tentação de Cristo”, especial de Natal do grupo Porta dos Fundos feito para a Netflix, está dando o que falar. O vídeo mostra o relacionamento entre Jesus (Gregorio Duvivier) e seu amigo, Orlando (Fábio Porchat), e grupos religiosos começaram a protestar contra a atração de 46 minutos na tentativa de proibir sua veiculação. Políticos e líderes religiosos entraram com representações na Justiça contra o programa. “Jesus está fazendo 30 anos e traz um convidado surpresa para conhecer a família. Um especial de Natal tão errado que só podia ser do Porta dos Fundos”, diz a sinopse no site da Netflix.

A polêmica cresceu tanto que agora já repercute na mídia internacional. Em reportagem, o site do jornal britânico “Daily Mail” destacou uma petição online com mais de dois milhões de assinaturas pedindo “o impedimento do filme de Natal da Netflix e Porta dos Fundos, por ofender gravemente os cristãos”. Além disso, mostrou como a polêmica vem dividindo as redes sociais, com opiniões favoráveis e contrárias ao especial. Na matéria, a publicação inglesa colocou diversos prints de usuários do Twitter reclamando e convidando cristãos para assinar a petição. Há ainda um destaque para fala do deputado federal Eduardo Bolsonaro dizendo que “esse filme não representa o nosso país”.

Os criadores do grupo se manifestaram também pelo Twitter sobre a polêmica. “Gente, pode deixar que eu me resolvo com Deus, tá de boas, não precisa se preocupar não. Agora pode voltar a se indignar com a desigualdade que destrói nosso país”, postou Porchat. “Não pode rir de religião, só de preto, viado e pobre”, escreveu Duvivier, após um vídeo do humorista Renato Aragão ser usado para criticar o especial. A polêmica com os setores mais conservadores da sociedade acabou sendo benéfica ao grupo de humoristas, já que o vídeo teria se tornado o recordista de acessos da plataforma no país.  

Esse é o segundo programa de Natal feito pelo Porta dos Fundos para a Netflix. “Se beber não ceie”, lançado no final de 2018, ganhou o prêmio Emmy Internacional deste ano como melhor comédia.  E já está confirmado que haverá um novo especial natalino para o streaming em 2020. A Netiflix emitiu comunicado sobre a polêmica: “Valorizamos a liberdade artística e o humor por meio da sátira nos mais diversos temas culturais da nossa sociedade e acreditamos que a liberdade de expressão é uma construção essencial para um país democrático”.