Estudante brasileiro diz que foi vítima de violência por ser estrangeiro em Portugal

Agressores gritavam “brazuca” enquanto batiam no jovem de 24 anos

0
6314
Jovem ficou com o rosto bastante machucado FOTO: Reprodução do Facebook
Jovem ficou com o rosto bastante machucado FOTO: Reprodução do Facebook

DA REDAÇÃO, COM O GLOBO – O estudante brasileiro Iran Barbosa, de 24 anos, diz ter sido vítima de um ataque por ser estrangeiro enquanto caminhava para casa, na cidade de Covilhã, a 170 milhas de Lisboa, em Portugal, na madrugada de terça-feira (28). Ele conta que foi agredido com um soco no rosto, seguido por diversos golpes, desferidos por dois portugueses que o chamaram de ‘brazuca’. A agressão foi denunciada no Facebook pela mãe de Iran.

“A rua estava escura e dois homens vieram na minha direção. Achei que eram conhecidos ou que queriam perguntar alguma coisa, porque vinham mesmo de encontro a mim. Quando se aproximaram, reparei que não os conhecia e nunca os tinha visto. Foi tudo muito rápido. Disseram “toma, zuca, isso é o que mereces” e levei um murro no nariz de um enquanto o outro dava vários golpes”, afirmou o estudante ao jornal “O Globo”.

Depois de deixar o brasileiro caído na rua, os agressores foram embora “andando como se nada tivesse acontecido”, disse ele. O estudante foi encontrado por um amigo que passou de carro no local, reconheceu Iran e o levou para casa.

Essa não foi, contudo, a primeira vez que o estudante sofreu com o preconceito por ser estrangeiro. Ele morou em Portugal com sua família de 1998 a 2007 e, durante a infância, por volta dos 6 ou 7 anos, Iran conta que dois vizinhos declaravam ódio e diziam para ele voltar para o Brasil.

“Eles iniciaram lutas várias vezes comigo e com meu irmão, mas sempre entendi como um caso isolado e nunca generalizei” — diz o jovem, ressaltando que sempre foi bem tratado no país até então e que vários de seus amigos são portugueses.

Em 2007, a família voltou para Recife, onde Iran cursou faculdade. Após concluir a graduação, há um ano e cinco meses, ele começou um mestrado em design de jogos digitais na Universidade da Beira Interior em Covilhã.