EUA colocam 8,500 soldados em alerta enquanto avaliam ação militar contra a Rússia

EUA e aliados prometeram proteger a soberania da Ucrânia que está sob ameaça de ser invadida pelos russos

0
1298
Vladimir Putin e Joe Biden em Geneva, Suiça, em junho de 2021 (foto: Alexander Zemlianichenko/AP)

Pelo menos 8,5 mil soldados foram colocados em alerta pelo governo dos EUA para ajudar na defesa dos aliados da OTAN -Organização do Tratado do Atlântico Norte- caso a Rússia invada a Ucrânia.  A informação foi divulgada nesta segunda-feira (24), pela secretária de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki. No domingo (23), o governo ordenou a retirada das famílias de seu diplomatas do país ucraniano. Estima-se que o primeiro ministro Vladimir Putin tenha enviado mais de 100 mil soldados russos para a fronteira com o país vizinho.

A tensão entre EUA e Rússia acontece em meio a uma disputa territorial que começou em 2014 com a anexação da Crimeia pelos russos e ganhou novos contornos com a ameaça de Putin de uma possível invasão da Ucrânia. EUA, Europa e OTAN prometeram retaliar a Rússia caso ocorra um ataque à soberania ucraniana .A OTAN comunicou que estava enviando navios e caças para a Europa Oriental e que Washington “também deixou claro que está considerando aumentar sua presença militar na região”.

Ainda na tarde desta segunda, o presidente Joe Biden participou de uma videoconferência de 90 minutos para discutir o assunto com o secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, o primeiro-ministro britânico Boris Johnson, o presidente da Polônia, Andrzej Duda, o presidente francês Emmanuel Macron, entre outras lideranças. O Pentágono não informou em quais circunstâncias pode mandar as tropas, mas especialistas avaliam que isso poderia enviar um sinal à Rússia de que estão preparados para agir rapidamente em defesa dos aliados.