EUA mantêm veto a carne brasileira

Prejuízo com decisão está em torno de 284 milhões de dólares

0
919
O veto ao produto brasileiro vem desde a época da Operação Carne Fraca, em 2017 (Foto: Dênio Simões/Agência Brasília)
O veto ao produto brasileiro vem desde a época da Operação Carne Fraca, em 2017 (Foto: Dênio Simões/Agência Brasília)

O governo americano negou a abertura do mercado para a carne bovina in natura do Brasil, pauta da negociação de uma parceria estratégica entre os dois governos. Os Estados Unidos pedem agora informações adicionais e a realização de nova inspeção sobre a qualidade do produto. Somente depois disso as barreiras contra a carne brasileira poderão ser derrubadas, o que deve atrasar ainda mais as negociações para a abertura do mercado.

O Brasil tenta a reabertura do mercado desde 2017, quando a Operação Carne Fraca, da Polícia Federal, trouxe à tona um esquema de adulteração da carne, com certificados de qualidade conseguidos a partir de corrupção de funcionários do governo. Para se ter uma ideia do prejuízo, um ano antes desse problema, o Brasil exportou cerca de 284 milhões de dólares de carne bovina aos EUA.

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, ficou decepcionada com a decisão do governo americano, pois acreditava que não haveria a necessidade de uma nova missão ao Brasil para tratar deste assunto. Ela está de viagem marcada a Washington ainda este mês, quando pretende discutir o tema com Sonny Perdue, secretário de Agricultura norte-americano.