Ex-líder do Telexfree vira coach empresarial

Em vídeo no Youtube, Sann Rodrigues, que já foi preso acusado de fraude, afirma que agora vai ajudar as pessoas a realizarem sonhos

0
5325
Sann Rodrigues ex-líder do Telexfree
Sann Rodrigues ex-líder do Telexfree

DA REDAÇÃO (com Brazilian Times) – O brasileiro Sann Rodrigues – que se tornou assunto principal da mídia comunitária brasileira depois do início do processo contra a Telexfree e algumas prisões motivadas por um suposto caso de fraude para adquirir o green card – , publicou, na última semana, um vídeo em seu canal no Youtube. No vídeo, Sann afirma que vai usar o que aprendeu com seus erros e os erros dos outros para ensinar e dedicar seu tempo aos empreendedores a obterem sucesso em seus negócios. “Vou ensinar a não cometerem os mesmos erros que eu cometi”, afirmou. “Minha missão a partir de agora é ajudar pessoa que desejam ter resultados positivos, compartilhando minhas experiências, méritos e estratégias para alcançar super resultados em qualquer negócio”.

Sann colocou a sua vida como exemplo de uma pessoa humilde que conheceu o marketing multinínvel (MMN) e conseguiu sua segurança e independência financeira. “E ainda mais. Ajudar outras pessoas a realizarem seus sonhos”, disse.

Sann cita o caso Telefreex como um duro golpe do destino e que muitos dos seus sonhos ficarem comprometidos. “Eu vi minha família sofrer e pessoalmente passei por momentos complicados”, afirmou ressaltando que foi alvo de calúnias e difamações. “Fui alvo de tantas mentiras por parte de pessoas que que ajudei de alguma maneira”, continuou para explicar que não fará mais parte de nenhuma empresa de MMN.

Mesmo assim, ele disse que continua acreditando que um grande canal de vendas e fidelização de clientes para a maioria das empresas de venda de produtos e serviços e uma grande oportunidade para quem deseja ser empreendedores neste mercado. “Mas eu decidi tomar um novo direcionamento para a minha vida e continuarei sendo um sonhador indomável”, fala.

Relembre o caso

Sann é foragido da justiça brasileira, acusado de liderar um outro esquema de pirâmide financeira, a Ifreex. Ele tinha uma proibição de saída do Brasil decretada pela Justiça do Espírito Santo, mas conseguiu escapar e embarcar para os EUA em fevereiro de 2015.

Além da Telexfree e da Ifreex, Sann também foi acusado como responsável pela pirâmide Foneclub, que causou enormes prejuízos entre os brasileiros residentes em Massachusetts. O esquema tinha origem no Espírito Santo, onde ele atuava à frente de outras empresas semelhantes, como Universo Foneclub e Phone Club. A empresa vendia cartões telefônicos internacionais pré-pagos como forma de investimento. Como todo esquema de pirâmide, recrutava pessoas prometendo lucro com a venda dos serviços e do recrutamento de mais pessoas para a rede.

Em maio de 2015, ele foi preso acusado de ter morado e trabalhado ilegalmente nos EUA entre 2003 e 2006, e que teria omitido essa informação à imigração quando foi entrevistado para a obtenção do green card em 2012.