Exército da Guatemala bloqueia travessia de milhares de hondurenhos rumo aos EUA

Caravana de imigrantes entrou em confronto com exército guatemalteco e pelo menos seis mil hondurenhos foram presos. Outro grupo está detido próximo a uma rodovia federal, onde as forças de segurança impedem a continuidade do trajeto

0
741
Exército da Guatemala bloqueia travessia de hondurenhos rumo aos EUA (foto: reprodução Twitter)
Pelo menos seis mil hondurenhos foram presos em confrontos com a polícia (foto: reprodução Twitter)

Ao cruzar a Guatemala com destino aos EUA, a caravana com pelo menos nove mil hondurenhos divididos em dois grupos entrou em confronto com a guarda nacional.

Centenas foram levados para a cadeia. Outra parte do grupo permanece detida próximo a uma rodovia federal, onde as forças de segurança do país guatemalteco bloqueiam sua travessia.

A imprensa local dá conta, ainda, que durante o confronto alguns hondurenhos conseguiram driblar a barreira policial e avançar pelo país com destino ao México. O presidente Andrés Manuel López, do México, já teria sido avisado e também ameaçou usar a Guarda Nacional para barrar a entrada dos imigrantes.

Veja as imagens do confronto entre a Guarda Nacional da Guatemala e os imigrantes de Honduras

Em janeiro do ano passado, militares mexicanos reprimiram e espancaram dezenas de imigrantes que tentaram chegar aos EUA cruzando a fronteira sul do país, conforme lembrou o Instituto da Mulher na Imigração (IMUM).

A caravana saiu de San Pedro Sula, cidade no norte de Honduras, no final da semana passada com o objetivo de chegar aos EUA em busca de melhores condições de vida.

No último ano, a pobreza e a violência em Honduras e outros países da América Central foram atenuadas, especialmente por causa da pandemia de covid-19 e das destruições causadas pelos furacões Eta e Iota, que atingiram o continente em novembro.

https://twitter.com/i/status/1350485398703792128

Em entrevista coletiva nesta segunda-feira (18), o diretor do Instituto de Migração da Guatemala, Guillermo Díaz, disse que o bloqueio se dá devido a uma questão de “segurança nacional”.

Segundo Díaz, foram mobilizados cinco mil soldados em sete departamentos para impedir o avanço da caravana.