Falso médico rouba $1.3 milhão de mulheres usando aplicativos de namoro

Estelionatário lesou mais de 30 mulheres que ele conheceu online

0
1030
Diploma da University of Pennsylvania forjado por Wedgeworth (Foto: Documento do Departamento de Justiça da Flórida)
Diploma da University of Pennsylvania forjado por Wedgeworth (Foto: Documento do Departamento de Justiça da Flórida)

Um homem que fraudou mais de 30 mulheres fingindo ser médico em plataformas de namoro na internet foi condenado a nove anos de prisão federal, dizem promotores da Flórida.

Brian Brainard Wedgeworth, 47, iniciou o esquema em outubro de 2016 enquanto estava preso na Geórgia por uma condenação por fraude em 2014.

Embora não esteja claro como ele teve acesso a aplicativos de namoro enquanto estava preso, Wedgeworth desenvolveu relacionamentos românticos com mulheres de todo o país em sites como Match.com e EliteSingles.com. Ele dizia ser médico em Tallahassee.

Wedgeworth, apelidado de “Casanova Scammer” por autoridades e agências de notícias, nunca foi um profissional médico licenciado, tendo frequentado apenas a Universiity of Montevallo, no Alabama, por dois semestres sem obter um diploma, de acordo com autoridades federais.

Mas, entre 2016 e março de 2021, ele conheceu mulheres online continuamente e disse a elas – usando pelo menos 13 pseudônimos diferentes – ter frequentado universidades como Harvard, Johns Hopkins e Duke e era médico em instituições como os Centros de Controle e Prevenção de Doenças e Centro Médico Cedars-Sinai.

Wedgeworth convenceu as vítimas de que poderia ajudá-las financeiramente pagando várias contas, obtendo acesso às suas informações bancárias e de empréstimos, dizem os promotores.

Ele fazia pagamentos para as empresas de cartão de crédito das mulheres, credores de financiamentos de imóveis e fornecedores de empréstimos estudantis que nunca eram compensados ​​e depois alegava ser ele quem precisava de dinheiro. As autoridades dizem que ele atraiu suas amantes para transferir dinheiro, preencher cheques e comprar itens de luxo como Rolex e relógios Cartier, que mais tarde ele penhorou.

No total, seu esquema causou uma perda de mais de $1.3 milhão de mais de 30 vítimas.

Wedgeworth se declarou culpado de vinte e cinco acusações de fraude eletrônica, fraude postal, roubo de identidade agravado e lavagem de dinheiro em 19 de maio de 2022. Ele foi condenado a nove anos de prisão e condenado a pagar $1,161,325.82 em restituição na quinta-feira, 1º de setembro, pelo juiz distrital dos EUA Robert Hinkle. Essa sentença será seguida por três anos de liberdade vigiada.

O condenado pediu desculpas durante sua audiência de sentença em Tallahassee. “Este caso foi um tremendo alerta”, disse ele no tribunal. Em comparação com outros crimes na Internet, os golpes românticos terminaram em uma das maiores perdas financeiras – em 2020, mais de 23 mil vítimas relataram mais de $605 milhões em perdas, de acordo com o FBI.