Farmacêutica americana desenvolve medicamento que reduz em 81% sintomas da covid-19

Remédio que tem anticorpos como base já está em uso para tratar a doença em pacientes com sintomas moderados

0
1067
Cientistas da Regeneron desenvolveram medicamento eficaz contra a covid-19 (Foto Divulgação Regeneron)

A fabricante de medicamentos americana Regeneron divulgou esta semana novos dados de um levantamento que mostra que uma única injeção do coquetel de anticorpos desenvolvido pela farmacêutica é capaz de prevenir sintomas severos da covid-19.

A Regeneron disse que buscará a expansão da autorização de uso emergencial para o medicamento, atualmente disponível nos Estados Unidos para tratar a covid-19 em pessoas com sintomas leves e moderados. No novo teste, o medicamento, denominado REGEN-COV, reduziu o risco de infecções sintomáticas em 81%.

O ensaio estudou a combinação do medicamento em 1.505 pessoas que não haviam sido infectadas com coronavírus, mas viviam na mesma casa que alguém com teste positivo nos quatro dias anteriores.

A droga forneceu 72% de proteção contra infecções sintomáticas na primeira semana e 93% de proteção nas semanas subsequentes, disse a farmacêutica. Ainda segundo os dados, aqueles que receberam o coquetel de anticorpos e tiveram uma infecção sintomática resolveram seus sintomas em uma semana, em comparação com três semanas entre aqueles que receberam um placebo.

“Se autorizada, a administração subcutânea de REGEN-COV pode ajudar a controlar surtos em ambientes de alto risco onde os indivíduos ainda não foram vacinados, incluindo famílias individuais e ambientes de vida em grupo”, revelou a empresa em comunicado. Os eventos adversos ocorreram em 20% dos pacientes que receberam o medicamento e 29% daqueles que receberam um placebo, disse Regeneron.

Nenhum dos participantes que recebeu o medicamento foi hospitalizado ou necessitou ir ao pronto-socorro ao longo de 29 dias. O medicamento está atualmente autorizado para ser administrado por via intravenosa, o que leva mais tempo e pode ser parte da razão pela qual a adoção do tratamento foi limitada. Agora, a empresa busca expandir a autorização para injeção subcutânea. (Com informações da CNN Brasil e Regeneron)