FBI: “Não há nada contra Hillary Clinton”

Diretor do FBI, James Comey, isenta candidata de qualquer possibilidade de indiciamento relacionado a vazamento de emails

0
38677
FBI conclui que não há motivos para indiciamento de Hillary Clinton no caso dos emails

O diretor do Federal Bureau of Investigation (FBI), James Comey, informou a parlamentares influentes neste domingo (6) que ele não crê que Hillary Clinton deva ser processada criminalmente pelo uso de servidores particulares de email durante o tempo em que foi secretária de Estado.

Comey disse que essa conclusão veio depois que seus agentes revisaram todos os emails que vazaram recentemente de dispositivos que pertenciam ao ex-parlamentar Anthony Weiner, marido de uma assessora de Hillary.

“Os investigadores do FBI trabalharam incansavelmente para processar e revisar um imenso volume de emails retirados de um dispositivo proveniente de uma investigação criminal não relacionada”, disse Comey em nota.

“Durante o processo, revisamos todas as comunicações de e para Hillary Clinton enquanto ela era secretária de Estado. Baseado nessa revisão, não mudamos nossa conclusão expressa em julho com relação à secretária Clinton”, continuou. Em julho, o FBI revelou que não havia nada que incriminasse Hillary na investigação sobre os seus emails.

O diretor de comunicação da campanha de Hillary, Jennifer Palmieri, disse à imprensa que a equipe ficou satisfeita com a notícia. “Estamos contentes que esse caso tenha sido resolvido”, disse Palmieri

Quatro meses atrás, o diretor de FBI acusou Clinton e seus assessores de terem sido “extremamente displicentes” no trato com informações sensíveis, mas concluiu que “nenhum promotor razoável” a indiciaria de qualquer crime. No dia 28 de outubro, Comey disse que sua equipe tinha achado mais emails potencialmente relacionados com a investigação inicial, em dispositivos que pertenciam a Anthony Weiner. A declaração de domingo de Comey isenta a candidata Democrata de qualquer possibilidade de indiciamento relacionada a esses emails.