Flórida pede que sites interrompam vendas de cartões de vacinação covid-19 falsos

FBI alertou o público a não publicar fotos de seu cartão de vacina em mídias sociais e destacou que o uso não autorizado do selo de uma agência do governo como o CDC, por exemplo, é crime federal

0
1940
Cartões de vacinas fraudulentos são uma ameaça para os residentes dos estados (foto:FBI)
Cartões de vacinas fraudulentos são uma ameaça para os residentes dos estados (foto:FBI)

A Flórida uniu-se a outros 44 estados para solicitar a plataformas digitais como eBay, Shopify e outras que atuem imediatamente para impedir a venda de cartões de vacina covid-19 falsos.

Em um documento coletivo, procuradores-estaduais revelaram preocupações sobre os riscos que este tipo de ação representa para a saúde pública. “As vacinas continuam sendo nossa melhor chance de alcançar a imunidade coletiva”, diz o texto.

“Cartões de vacinas fraudulentos são uma ameaça para os residentes dos nossos estados. Como resultado, pedimos que tomem medidas imediatas para evitar que suas plataformas sejam usadas como um veículo para cometer esses atos que prejudicam nossas comunidades ”, solicitaram os procuradores.

Sem um banco de dados oficial para verificar as vacinações, esses pequenos pedaços de papel são atualmente a melhor fonte de comprovação do status de imunização individual e funcionará como passaporte para algumas atividades como viajar, entrar em escolas, etc.

Aqueles que compram o documento, entretanto, são os que não querem se vacinar mas pretender usufruir dos mesmos benefícios dos que tomaram a vacina.

No último dia 29 de março, James Koncar, um morador de Tampa, foi demitido após exibir seu cartão falso pela internet.  

O vídeo do cartão de vacinação falso de Koncar – que incluía a legenda “F*ck masks” – foi revelado por uma farmacêutica do Mississippi.

Além de exibir a postagem, ela notificou o local de trabalho cadastrado no perfil do homem no Tik Tok e eles decidiram dispensá-lo.

O FBI alerta o público a não publicar fotos de seu cartão de vacina em mídias sociais e lembra que o uso não autorizado do selo de uma agência oficial do governo como HHS ou Centers for Disease Control and Prevention (CDC) é crime federal.