Forte terremoto atinge o México e mata pelo menos 230 pessoas

Capital do México teve tremores de terra de 7.1 graus na escala Richter; dezenas de crianças morreram

0
1359
Terremoto de 7.1 graus atingiu o México na terça feira (19)
Terremoto de 7.1 graus atingiu o México na terça feira (19)

DA REDAÇÃO – Um terremoto de 7,1 graus de magnitude na escala Richter atingiu o México e causou cenas de pânico naterça-feira (19), no mesmo dia em que se completam 32 anos do sismo que deixou milhares de mortos na Cidade do México. A informação é da agência EFE. Mais de 233 mortes foram registradas.

O Serviço Sismológico Nacional (SSN) indicou por meio do Twitter que o tremor foi de 7,1 graus, ao fazer uma atualização do seu primeiro boletim, no qual fixou a magnitude em 6,8.

O epicentro do sismo, registrado às 1h14 (horário local), localizou-se 12 quilômetros ao sudeste de Axochiapan, no estado de Morelos, a uma profundidade de 57 quilômetros.

O tremor gerou muitas cenas de pânico na capital do país apenas duas horas depois de a população ter saído às ruas de todo o país em uma simulação para lembrar o terremoto de 1985, bem como cortes no fornecimento da eletricidade e do serviço de telefonia.

O sismo de hoje foi sentido com mais força na Cidade do México do que o registrado em 7 de setembro, de magnitude de 8,2 na escala Richter, dado que o epicentro foi mais próximo. O sismo do último dia 7 de setembro, o mais poderoso desde 1932 no país, deixou 98 mortos no sul do país; 78 em Oaxaca, 16 em Chiapas e quatro em Tabasco.

O presidente do México, Enrique Peña Nieto, convocou o Comitê Nacional de Emergências para avaliar a situação e coordenar ações. Em postagens no Twitter, ele pediu que a população verifique a eletricidade e fechem as tubulações de gás antes de voltarem para suas casas. O presidente ainda insistiu para que a população evite circular pelas ruas e avenidas para liberar o caminho para os serviços de emergência.

Em meio às ruínas da escola Rebsamen, onde morreram 21 crianças e cinco adultos, os socorristas conseguiram localizar com um escâner térmico uma menina e outras cinco crianças.

“Vi cinco crianças vivas, mas estão presas em uma teia de vergalhões”, disse à AFP um socorrista da Defesa Civil, que pediu para não ter o nome revelado.

“Será um trabalho delicado cortar os vergalhões sem machucar as crianças. Os aparelhos mostram que suas batidas cardíacas estão fracas”, advertiu o socorrista.

Onze crianças e pelo menos uma professora foram retirados com vida da escola que desabou.