Gangue do Haiti liberta americanos e canadense sequestrados há dois meses

Dezessete missionários foram sequestrados no dia 12 de outubro; todos foram liberados em boas condições de saúde

0
724
Missionários foram sequestrados no Haiti (Foto Reprodução ABC News)

Dezesseis missionários americanos e um canadense foram libertados por sequestradores em Porto Príncipe, no Haiti, depois de dois meses em cativeiro. A informação foi confirmada pelo Departamento de Estado nesta quinta-feira (16). A gangue começou a liberar os reféns no início deste mês.

“Estamos felizes em anunciar que os 12 reféns que ainda estavam sob a mira dos sequestradores e que estarão novamente com suas famílias em breve. Nós agradecemos a colaboração do governo haitiano no sucesso dessa missão”, disse o Departamento de Estado em nota.

Os missionários foram sequestrados pela gangue 400 Mawozo. No grupo havia 12 adultos e cinco crianças, incluindo um bebê. Todos foram resgatados com boas condições de saúde. Na época os sequestradores pediram $17 milhões, $1 milhão por pessoa, para libertar os reféns, mas não foi informado se o resgate foi pago.

Segundo um centro de pesquisa de Porto Príncipe, pelo menos 800 pessoas foram sequestradas entre janeiro e outubro deste ano na cidade, entre eles, 54 estrangeiros. “Reiteramos que os Estados Unidos e nossos parceiros internacionais precisam trabalhar juntos para levar segurança aos haitianos”, disse o deputado democrata, Andy Levin.