Golpe do cheque falso lesa brasileiros na Flórida

Golpistas, sempre muito bem informados, utilizam de anúncios em jornal e páginas de serviços na Internet para roubar dinheiro das vítimas

0
13514
Golpe do cheque falso é comum em todo os EUA
Golpe do cheque falso é comum em todo os EUA

DA REDAÇÃO – O pintor goiano João Andrade, morador de Deerfield Beach, está amargando um prejuízo de mais de $3 mil dólares em sua conta bancária por ter caído, há menos de um mês, em um golpe muito comum em todos os Estados Unidos. O golpe do cheque falso, no qual o estelionatário (de várias nacionalidades) do outro lado da linha – interessado em algum tipo de serviço prestado pela vítima – envia um cheque muito parecido com um cheque legítimo com um valor bem alto. Assim que o destinatário recebe o cheque, o golpista pede que a pessoa deposite o cheque em um ATM – para que o caixa não levante suspeitas – e pede que a pessoa envie uma certa quantia para uma conta determinada, que seria do estelionatário.

Para brasileiros recém-chegados é bem complicado entender a lógica do sistema bancário americano. Nos EUA, quando você deposita um cheque em sua conta com uma quantia alta, o banco normalmente ‘adianta’ uma certa quantia para, então, compensar o valor e efetivar a transação no dia útil seguinte. Se o cheque depositado for falso ou não tiver fundos, o banco pega o dinheiro que ele havia adiantado de volta, devolve o cheque e ainda aplica uma multa de $35 como punição.

No caso de João Andrade, ele tem uma pequena companhia de pintura e conhece o sistema americano, já que vive nos EUA há 18 anos, mas foi convencido pelo ‘cliente’.  “Eu recebi um telefonema de uma pessoa falando muito mal inglês, não era brasileiro nem americano. A partir daí começamos a conversar por mensagem no celular. Ele me pediu o orçamento para pintar uma casa que existia, eu fui até o local, vi que tinha uma placa de venda e a casa estava lá. Ele acertou todo o serviço comigo por mensagem e me convenceu a aceitar um pagamento adiantado. Eu depositei o cheque numa sexta-feira no ATM, o cheque estava ‘limpo’ no dia seguinte e acabei depositando para ele os $3 mil que ele falou que seria para pagar um encanador”, explica. O problema é que na segunda-feira, quando João foi conferir sua conta, o cheque além de não ter sido compensado, o rombo em sua conta era de $3,7 mil, já que ele havia sacado $3 mil para mandar para o golpista. “Eu sei que errei em acreditar, mas tudo parecia muito correto. Quero que essa reportagem sirva de alerta para outros brasileiros”, disse.

Andrade fez uma ocorrência policial e está tentando ser ressarcido do prejuízo pelo banco.

‘Golpe da babysitter’

A história do baiano Marcelo* –  nome trocado a pedido do entrevistado – por pouco também não acabou em prejuízo. A sorte foi que seu sogro que mora nos EUA há mais de 25 anos viu o cheque e foi enfático em dizer: “é golpe”. Marcelo chegou aos EUA com a família há pouco mais de um mês, todos com green card passado do sogro cidadão americano para a família, e estava procurando um trabalho para a esposa em um jornal brasileiro no Sul da Flórida. O anúncio em destaque oferecia um trabalho de babysitter para brasileiros – mulher ou homem – para cuidar de uma criança de três anos. Marcelo viu o anúncio, anotou o e-mail (não havia telefone) e entrou em contato. “Quando mandei o e-mail demonstrando interesse, uma americana muito educada, com inglês impecável, me respondeu falando que precisava de uma pessoa para cuidar do seu filho. Deu um endereço em Boca Raton, fomos até o lugar conferir e era um condomínio de luxo. Ela dizia que estava se mudando e que não haveria problema caso minha esposa não falasse inglês, ela disse que o marido falava espanhol. Trocamos vários e-mails até que ela começou a insistir para pagar adiantado pelo serviço. Relutei no princípio, o cheque chegou e ela começou a insistir para que eu depositasse o cheque e enviasse $600 para ela. Sorte que meu sogro chegou na hora e me impediu de fazer isso”, disse Marcelo ao AcheiUSA.

Golpistas enviam cheques em valores altos e pedem depósitos

Dicas para não cair nesse golpe

De acordo com o Financial Industry Regulatory Authority – Finra-  esse golpe é muito comum e os estelionatários se aproveitam de pessoas que estão procurando emprego e prestadores de serviços. Seguem algumas dicas:

Não aceite cheques com valor maior que o combinado para ter que devolver o dinheiro ao destinatário. Isso não existe.

Não troque cheques ‘inesperados’ por dinheiro vivo. Mesmo que o banco troque o cheque na hora, a instituição vai verificar que o documento é falso e você pode ter sérios problemas com a polícia.

Não use ATM para depositar cheques de estranhos e vindos de locais que você não conhece. Deposite na boca do caixa.

Assim que receber o cheque por algum serviço prestado, ligue para a instituição para verificar que o destinatário existe.

Estelionatários são insistentes e ficam no seu pé até você depositar o cheque. Fique atento.

Foi vítima do golpe? Denuncie nos seguintes sites:

  • American Bankers Association Education Foundation, Fake Check Scams
  • FTC Consumer Alert, The Secrets of Mystery Shopping Revealed
  • Internet Crime Complaint Center, Work-at-Home Scams
  • National Consumers League, FakeChecks.org