Notícias

Governo acaba com benefícios imigratórios de cinco mil cidadãos da Nicarágua

Nicaraguenses terão até janeiro de 2019 para voltar ao país de origem; beneficiários do Temporary Protected Status estão em risco

Manifestantes protestam contra a suspensão do Temporary Protected Status (TPS) (foto: pixabay)
Manifestantes protestam contra a suspensão do Temporary Protected Status (TPS) (foto: pixabay)

O governo americano anunciou, na segunda-feira (6), que planeja acabar, até janeiro de 2019, com o benefício imigratório de mais de cinco mil cidadãos da Nicarágua, que integram um programa de residência temporária. Alguns nicaraguenses do programa estão nos EUA há mais de 20 anos.

A administração Trump anunciou também que vai resolver o caso de 86 mil hondurenhos, que também têm residência temporária, em julho de 2018.  O anúncio veio dois meses antes de o prazo final do benefício – janeiro de 2018 – expirar.

A secretária interina do Departamento de Homeland Security, Elaine Duke, disse que o programa conhecido como Temporary Protected Status – TPS – não é mais necessário. Elaine disse que esses residentes temporários terão 12 meses para organizar a volta para o país de origem.

O caso de Honduras foi adiado até julho, segundo o DHS, porque o departamento precisa de mais tempo para estudar o caso.

Programa TPS

O programa atualmente protege 435 mil imigrantes de nove países atingidos por desastres naturais ou guerras e que buscaram proteção nos Estados Unidos. O status sempre foi temporário e repetidamente renovado pelos presidentes George Bush e Barack Obama.

Desde que Trump assumiu o cargo, ele acabou com a residência temporária de cidadãos do Sudão e reduziu o benefício para 60 mil haitianos, que receberam a residência temporária depois do devastador terremoto de 2010. (Com informações da AP).

Baixe nosso aplicativo