Grupo privado começa construção de muro na fronteira com recursos do GoFundMe

"Esta é a minha casa, não a deles. Se querem entrar nos Estados Unidos, que façam legalmente", afirma dono da propriedade onde o muro está sendo construído

0
2775
Grupo arrecadou dinheiro na internet e decidiu construir parte do muro na fronteira por conta própria (Imagem - CNN)
Grupo arrecadou dinheiro na internet e decidiu construir parte do muro na fronteira por conta própria (Imagem - CNN)

O grupo pró-Trump e a favor da construção do muro na fronteira dos EUA com o México arrecadou $20 milhões em doações no site GoFundMe e anunciou no Facebook esta semana o início da construção de parte de um muro em uma propriedade privada.

A construção é liderada pelo grupo ‘We Build the Wall’ iniciado pelo ex-veterano de guerra Brian Kolfage, que teve três membros do corpo amputados durante o tempo que este na guerra. “Preparem-se estamos apenas começando”, postou o grupo na página do Facebook.  O maquinário está em uma área privada, de propriedade de Jeff Allen.

São 800 metros de grades de aço na fronteira entre os estados do Texas e Novo México, diante da mexicana Ciudad Juárez, em Chihuahua, por onde passam milhares de imigrantes ilegais, principalmente centro-americanos.

“Aqui não é a Europa, aqui são os Estados Unidos, nós protegemos nossas fronteiras. Este (muro) é o primeiro privado”, disse Allen, que afirma ser um dos proprietários do terreno onde a barreira está sendo instalada. “Estou conseguindo muita ajuda para construir este muro. Esta é a maneira que os Estados Unidos dizem ao Congresso: ‘vocês estão falhando, vamos lutar por conta própria'”.

De Cincinnati, Ohio, Allen revela que em 2006 se casou com uma mulher de Ciudad Juárez, no México, onde morou por três anos e meio, até que em 2009 regressou aos Estados Unidos diante da violência do narcotráfico.

Allen garante que a construção do muro, em uma zona patrulhada por ex-militares americanos há meses, “não é racismo”. “Não sou racista, minha mulher é de Juárez, minha filha é de Juárez, mas o Congresso é preguiçoso, irresponsável e não protege o cidadão. Eles não protegem os Estados Unidos”.

Segundo dados da Patrulha de Fronteira, entre outubro e abril foram detidos 98.052 imigrantes no setor de El Paso, em meio a um crescente volume de emigrantes através do território mexicano.

“Esta é a minha casa, não a deles. Se querem entrar nos Estados Unidos, que façam legalmente”, concluiu Allen. (Com informações da CNN)