Grupos lutam por menos rigidez para concessão de vistos

0
1259

Ênfase na guerra contra o terrorismo tem prejudicado a vinda de visitantes estrangeiros aos EUA

Os Estados Unidos precisam flexibilizar suas normas para concessão de vistos, segundo especialistas em imigração. Eles alertam que a ênfase no escrutínio por potenciais terroristas tem dificultado a vinda de visitantes estrangeiros que desejam vir ao país.

“A política de concessão de vistos, após o incidente de 11 de setembro de 2001, reduziu-se a manter fora dos Estados Unidos pessoas que representem alguma ameaça”, disse Demetrios Papademetriou, presidente do Instituto de Política de Migração. “A autodefesa pode ser principal interesse nacional, mas não é o único”, alertou. O instituto, que se proclama independente e apartidário, divulgou um relatório nesta quinta-feira (18/08) sobre as mudanças na política de concessão de vistos após os ataques de 11 de setembro de 2001.

Papademetriou afirmou que a política deveria concentrar-se na importância econômica, social e cultural ao ser receptivo aos estrangeiros. Por exemplo, deveria encorajar as pessoas mais talentosas do exterior a freqüentar as escolas americanas, como vem fazendo as escolas da Europa e da Ásia.

John Keeley, do Centro de Estudos de Imigração, que propõe uma política de imigração mais restritiva, argumentou que a abertura nas normas de concessão de vistos levaria à imigração ilegal e a outros problemas. “O visto de estudante tem de ser examinado cuidadosamente porque foi bastante explorado pelos terroristas no passado”, disse. “Temos as melhores universidades do mundo e elas estão aqui para atender prioritariamente os estudantes americanos.”

Quinze dos 19 seqüestradores envolvidos nos ataques de 11 de Setembro entraram nos Estados Unidos com vistos de turismo, enquanto três usaram vistos de negócios e apenas um foi admitido com um visto de estudante.

O relatório do instituto revelou ainda que, embora o Departamento de Segurança Interna esteja bem aparelhado para algumas tarefas relativas aos vistos – como treinamento de segurança para diplomatas, por exemplo -, a responsabilidade total pela maioria dos vistos deveria retornar ao Departamento de Estado.

O Departamento de Estado ainda emite vistos através de embaixadas e consulados americanos.