Homem aponta arma para a vice-presidente da Argentina e puxa o gatilho; suspeito é brasileiro

Brasileiro identificado como Fernando André Sabag Montiel foi preso pela polícia federal do do país sul americano; arma falhou e Kirchner não se feriu, veja as imagens

0
978
Suspeito aponta para o rosto da vice-presidente e puxa o gatilho, mas arma não dispara (foto: Reprodução)

Um homem foi preso na noite desta quinta-feira (1) após apontar uma pistola a poucos metros do rosto da vice-presidente da Argentina, Cristina Kirchner, e puxar o gatilho. A arma falhou e a vice-presidente não foi ferida.

Segundo informações preliminares do ministro da Segurança do país, Aníbal Fernández, o autor da tentativa de assassinato é Fernando André Sabag Montiel, um brasileiro de 35 anos. Ele foi preso pela polícia federal do país e a arma usada por ele foi confiscada. Segundo os oficiais, a pistola 3.8 estava carregada com cinco balas.

A cena foi gravada por câmeras de veículos de comunicação que cobriam o encontro de Kirchner com manifestantes nos arredores de sua casa, no bairro Recoleta, em Buenos Aires. Em determinado momento, o brasileiro se aproxima, aponta a pista e é possível ouvir o barulho do gatilho sendo puxado. Kirchner se abaixa.

Momentos após o atentado, o presidente Alberto Fernández disse em pronunciamento televisionado em cadeia nacional: “Este é o evento mais sério pelo qual passamos desde que a Argentina voltou à democracia”, falou, referindo-se ao fim do regime militar em 1983.

“Um homem apontou uma arma de fogo para a cabeça dela e puxou o gatilho. Cristina ainda está viva porque, por algum motivo ainda a ser confirmado, a arma… não disparou”, continuo o presidente. Fernández afirmou que o país irá a fundo nas investigações da tentativa de matar a vice-presidente.

A área onde Cristina Kirchner mora se transformou ultimamente em  ponto de encontro de manifestantes prós e contrários à ex-mandatária. Recentemente, um promotor de justiça pediu a prisão para a política, sob acusação de chefiar um desvio de verbas públicas no período em que ela foi presidente do país  (2007-2015).