Homenagens às vítimas marcam os 18 anos dos atentados de 11 de setembro em NY

Um dos bombeiros que morreu durante o resgate de vítimas do atentado teve os restos mortais enterrados

0
910
Homem-abraça-parente-de-vítima-do-atentado-ocorrido-há-18-anos-(Foto-Brendan-McDermid-Reuters)

Há 18 anos, um atentado no World Trade Center deixou 2.753 mortos, dos quais 60% foram identificados. Neste dia 11 de setembro, homenagens em todo o País lembram os mortos naquele dia, que ficou marcado para sempre na história.

Um dos bombeiros que morreu nas Torres Gêmeas teve os restos mortais enterrados, depois de serem identificados 18 anos depois do atentado. Michael Haub, trabalhava havia 13 anos na corporação.

Em nota, a associação dos bombeiros diz que a identificação traz tranquilidade aos familiares.

“Nós nos recordamos dele e de outros 342 outros que morreram nesse dia fatídico, e sempre estaremos agradecidos pela coragem que eles demonstraram”, publicou, em um comunicado, a associação.

Centenas de outros bombeiros morreram em anos seguintes –a estimativa é que 200 tenham falecido por doenças adquiridas no enfrentamento do ataque às Torres Gêmeas, como distintos tipos de câncer.

Homenagens

O ‘Tributo em Luz’ iluminou o céu de Manhattan no lugar das Torres Gêmeas desde a noite da véspera, e o presidente Donald Trump participou de momento de silêncio diante da Casa Branca.

Na manhã desta quarta-feira (11), familiares das vítimas se reuniram no National September 11 Memorial & Museum, localizado no local onde ficava o World Trade Center em New York. Os nomes das vítimas foram lidos, enquanto os parentes das vítimas rezavam e se emocionavam.

Nos ataques de 2001, quatro voos foram sequestrados e usados como armas por terroristas ligados à rede al-Qaeda. Dois aviões se chocaram contra as Torres Gêmeas de Nova York, um se chocou contra a fachada oeste do Pentágono, em Washington, e outro foi jogado contra o solo de um campo vazio de Shanksville, na Pensilvânia.