Hotel de Miami é condenado a pagar $21 milhões a funcionária que teve religião desrespeitada

Marie Jean Pierre trabalhava no Conrad Hotel em Miami e entrou com processo por ter sido obrigada a trabalhar aos domingos, o que atrapalhava sua vida como missionária religiosa

0
3742
Marie Jean Pierre ganhou processo contra hotel FOTO Sunsentinel
Marie Jean Pierre ganhou processo contra hotel FOTO Sunsentinel

Um juiz de de Miami deu ganho de causa a uma ex-dishwasher de um hotel em Miami e ela poderá receber $21 milhões em indenização. O hotel Conrad Miami – antigo Hilton Worldwide – é acusado de violar o Código Civil – Civil Rights Act of 1964 – em 2017 ao dispensar a funcionária, que era sempre escalada para trabalhar aos domingos, dia que ela atuava como missionária da Igreja Católica. As informações são do Sunsentinel.

Marie Jean Pierre, de 60 anos, é mãe de seis crianças e é membro da Soldiers of Christ Church, um grupo católico missionário que ajuda pessoas pobres.

“Você não pode discriminar alguém por suas crenças religiosas. Você tem que se adequar a essas crenças”, disse o advogado de Marie, Marc Brumer.

O hotel argumentou que nunca soube que Marie era uma missionária, tampouco que ela gostaria de ter os domingos de folga.

“Nós estamos muito desapontados com esse veredicto e não acredito que a sentença seja baseada em fatos. Vamos apelar da decisão e mostrar que o Conrad Miami trata bem seus funcionários e hóspedes”, disse a rede de hotéis em comunicado.

A ex-funcionária disse que avisou aos seus empregadores que não poderia trabalhar aos domingos devido aos seus compromissos religiosos. Eles continuaram escalando Marie para trabalhar no fim de semana. Ela foi demitida em 2016 por ‘má conduta’, ‘negligência’ e ‘faltas injustificadas’.