ICE deporta estudante que ganhou bolsa para jogar futebol em faculdade na Carolina do Norte

O jovem e o irmão foram deportados em tempo recorde; os dois não tinham antecedentes criminais

0
3477
Lizandro Claros Saravia (dir.) e o irmão Diego (centro) foram deportados
Lizandro Claros Saravia (dir.) e o irmão Diego (centro) foram deportados

O U.S. Immigration and Customs Enforcement – ICE – deportou em tempo recorde, na quarta-feira (2), dois irmãos imigrantes de El Salvador, que entraram ilegalmente no País em 2009. Lizandro Claros-Saravia, de 19 anos, estava prestes a cursar a Louisburg College na Carolina do Norte, com a bolsa de estudos que ganhou por jogar muito bem futebol.

Antes de começar as aulas, no entanto, ele teve que ir à imigração fazer um check in, acompanhado de seu advogado. Lizando e seu irmão Diego, de 22 anos, tinham uma ordem de deportação desde 2013, eles tentaram reverter o processo, mas não conseguiram. Eles não têm ficha policial.

“Os irmãos não possuem antecedentes criminais e não seriam prioridade para deportação pela administração Obama”, disse Matthew Bourke, porta-voz do ICE. Mas este não é o caso na administração Trump que já deixou claro desde o início que qualquer imigrante indocumentado está sujeito à deportação.

“Essas crianças não fizeram nada errado. Isso equivale a baixar o nível. Essas crianças se superaram”, disse Heather Bradley, que ensinou inglês como segunda língua (ESL) a Diego na Quince Orchard e trabalhou com lizandro na revista literária.

O treinador de futebol de Lizandro disse que ele deveria começar na quarta-feira (2) a treinar no Louisburg College, que oferece cursos de 2 anos. Na sexta-feira (28), os irmãos foram detidos por agentes do ICE em Baltimore, depois de uma visita de rotina ao escritório do órgão. Lizandro disse aos agentes que ele estava para ingressar na faculdade através de uma bolsa de estudo, disse Nick Katz, gerente sênior de serviços legais da CASA de Maryland, que representa os dois.

“Os agentes do ICE me disseram que estavam deportando as crianças porque Lizando foi aceito na faculdade e que isso demonstrava a intenção dele de permanecer nos EUA”, disse Katz.

“Eles receberam ordens finais de deportação emitida por um juiz de imigração em 2012. É por isso que eles foram removidos”, disse o porta-voz do ICE.

Em El Salvador, os irmãos foram recebidos por 2 tias e 3 avós, entretanto, a família nos EUA, incluindo os pais, o irmão mais velho, Jonathan, e a irmã, Fátima, estão preocupados com a violência a que eles estarão expostos lá. El Salvador foi considerada a capital do homicídio no continente em 2016.