Idosa é acusada de matar neto portador de necessidades especiais por overdose

Caso aconteceu em Bradenton (FL); mulher de 87 anos teria cometido crime por medo de ninguém cuidar do neto quando ela morrer

0
1041
Idosa foi presa acusada de matar o neto (Foto Divulgação da Polícia de Bradenton)

Lillian Parks, de 87 anos, está sendo acusada de matar o próprio neto de 30 anos de overdose por medo de quando ela morrer ninguém cuidar do jovem, que é portador de necessidades especiais.

Segundo a polícia de Bradenton, cidade que fica a 40 milhas de Tampa (FL), a polícia foi até a casa de Lilian Parks no domingo à tarde e encontrou o neto de Lillian, Joel Parks, já morto.

Joel ficava com a avó aos finais de semana e durante a semana em uma casa de apoio. Não foi revelado qual tipo de deficiência do jovem, mas segundo a polícia, ele não era capaz de cuidar de si próprio.

A idosa confessou ter dado remédios para matar o neto.

“Ela estava preocupada com as condições médicas do neto e quem cuidaria dele quando ela morresse”, informou o capitão da polícia de Bradenton. O pai de Joel já morreu e ninguém tem notícias sobre a mãe.

A idosa está sendo acusada de assassinato em segundo grau.