Imigrante indocumentado é preso dentro de igreja em Maryland

Segundo pessoas próximas, ele não tinha antecedentes criminais e trabalhava como zelador no templo religioso

0
2259
United Methodist, em Glenmont, Maryland (foto: wikimedia)
United Methodist, em Glenmont, Maryland (foto: wikimedia)

Binsar Siahaan, um imigrante indocumentado da Indonésia foi preso na quinta-feira (17) dentro da Igreja United Methodist, em Glenmont, Maryland, onde ele trabalhava como zelador.

A reverenda Kara Scroggins, membro da mesma congregação que Binsar, disse que o homem veio para os EUA em busca de asilo em 2002, alegando perseguição religiosa em seu país de origem.

Em entrevista ao jornal The Washington Post, Kara contou  que os agentes do U.S Immigration and Customs Enforcement (ICE) chegaram à igreja dizendo que iam apenas verificar o monitor de tornozelo, colocado em uma detenção anterior.

Entretanto, ele foi preso e agora está em um centro de detenção na Geórgia aguardando a deportação.

 “Binsar possui pedidos pendentes de respostas na imigração. Além disso ele não oferece risco de fuga e não tem ficha criminal. Estamos furiosos e queremos que o ICE o liberte agora e o devolva para sua família e sua igreja até que seu caso seja julgado por um Tribunal”, disse Kara.

A detenção levantou uma acalorada discussão sobre os limites de atuação do ICE em ambientes considerados “sensíveis”como igrejas, escolas e hospitais. Tradicionalmente, estes lugares servem de refúgio para imigrantes sob ameaça de deportação.

Em outubro de 2011, a própria agência de imigração emitiu um memorando  restringindo a atuação dos agentes nestas localidades.

O documento diz que “ações de fiscalização por oficiais e agentes da imigração em locais sensíveis como escolas e igrejas (…) só podem ocorrer sob circunstâncias especiais”.

Reação das Igrejas

Nesta segunda-feira (21), líderes religiosos de Maryland participaram de uma conferência de imprensa virtual para discutirem o assunto.

Líderes religiosos durante Conferência virtual (foto: captura de tela)

“Como bispa, considero essa violação da prática estabelecida de inescrupulosa”, disse LaTrelle Easterling, chefe da Conferência de Bispos de Baltimore-Washington da Igreja United Methodist. “Como eles ousam entrar em nosso solo sagrado para violar sua própria política?”, questionou

A bispa disse que exigiu explicações formais das autoridades imigratórias sobre o incidente: “Quem no ICE achou que isso foi um bom uso de seus recursos?”          

Easterling também observou que a prisão de imigrantes em lugares sensíveis tem sido uma prática recorrente da administração Trump.

Ela lembrou que desde julho de 2019, o governo Trump começou inesperadamente a impor centenas de milhares de dólares em multas aos imigrantes que se refugiavam em templos religiosos.

Segundo a religiosa, esta situação exigirá o fortalecimento do movimento chamado “Novo Santuário” criado antes mesmo da administração atual para proteger imigrantes ilegais sem antecedentes criminais de perseguição em solo americano.

“Eu encorajo todos os membros da Conferência Baltimore-Washington… que vocês possam ligar, que possam escrever aos nossos funcionários eleitos e exigir a libertação do Sr. Binsar Siahaan”, disse Easterling.