Brasil

Influenciadora digital Karol Eller é exonerada da EBC após participar de protestos violentos em Brasília

Karol Eller, que viveu na Flórida por 15 anos, voltou para o Brasil em 2018, quando passou a se envolver mais ativamente na vida pública. Amiga da família Bolsonaro, Karol compartilhou fotos com o ex-presidente em diversas ocasiões

A influenciadora digital Karol Eller, apoiadora do ex-presidente Jair Bolsonaro. Foto: Facebook

Servidora da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), a influenciadora digital Karol Eller foi exonerada de seu cargo, nesta segunda-feira (9), após participar de protestos violentos na tarde de domingo (8), em Brasília. No Instagram, ela fez transmissões ao vivo durante os atos de vandalismo que destruíram diversos prédios públicos na capital federal. Karol, que tinha cargo comissionado na EBC desde novembro de 2019, com rendimentos mensais de R$ 10.700, é a primeira pessoa exonerada dos quadros da empresa após a mudança de governo.

Prima da cantora Cássia Eller e membro da comunidade LGBTQ, Karol viveu no sul da Flórida por 15 anos, onde ficou conhecida por seu posicionamento político de direito, a favor de Jair Bolsonaro, na época candidato à presidência. Em 2018, Karol voltou a morar no Brasil, envolvendo-se mais ativamente na vida pública. Amiga da família Bolsonaro, especialmente do filho número 4 do ex-presidente, Jair Renan, Karol compartilhou fotos com o ex-mandatário em diversas ocasiões.

Em 2020, a influenciadora foi denunciada no Ministério Público do Rio de Janeiro por calúnia, porte ilegal de arma de fogo e lesão corporal, após acusar um homem de ataques homofóbicos contra ela e a namorada, a policial civil Suellen Silva dos Santos.

Nas redes sociais, Karol negou fazer parte dos atos violentos do último domingo. “Sou contra qualquer tipo de manifestação que viole a constituição e o Estado Democrático de Direito”, disse aos seus 470 mil seguidores no Instagram. Ela afirma ter deixado a Praça dos Três Poderes quando os ataques se intensificaram.

Karol Eller atuava na Gerência de Jornalismo Web e Radioagência, no Rio de Janeiro, e foi exonerada por Roni Baksys, diretor-geral da empresa.