Jacaré visto com corpo humano na boca é capturado na Flórida

Estômago do réptil tinha partes do corpo da vítima

0
9014

O jacaré de três metros que foi visto terça-feira na Flórida com um cadáver humano nas mandíbulas foi capturado.

“Um caçador contratado pelo estado capturou e matou o jacaré ontem, por volta das oito e meia da noite,” disse à imprensa o sargento Gary Gross, do departamento de polícia de Lakeland, cidade próxima de Orlando, no centro do estado. “Um legista o examinou e constatou a presença de restos humanos no estômago do animal, que correspondem às partes que faltavam do corpo.”

Na tarde de terça-feira (7), uma testemunha ligou para 911 informando que viu um jacaré com o que parecia ser um cadáver humano na boca, na área do Lago Hunter, em Lakeland. “Tem um cadáver aqui no lago e parece que o jacaré está tentando arrastá-lo,” disse a testemunha.

O sargento Gross disse que o réptil largou o corpo logo depois que a polícia chegou ao local. “Ele rolou algumas vezes na água, depois largou [o corpo] e foi embora,” disse o sargento.

A polícia então recolheu o corpo enquanto a comissão de vida selvagem da Flórida despachava caçadores para capturar o animal. O jacaré foi capturado na noite de terça e o conteúdo do estômago foi examinado na quarta. Gross disse que a causa da morte da vítima – um homem cujo corpo parece ter ficado na água por “mais de um dia” – ainda está sendo investigada. Não foi possível ainda determinar nada por causa das partes do corpo que faltavam e da decomposição na água,” explicou o policial. Uma autópsia foi realizada e os resultados toxicológicos podem levar um mês para sairem. Embora não haja nenhum relato de pessoas perdidas na área, alguns itens foram recuperados que podem estar relacionados com o caso.

“Achamos uma mochila na rampa dos barcos e outros itens em volta do lago, como uma camisa, mas não sabemos se têm ligações com o caso ainda,” disse. “Muita gente pesca por aqui e sempre esquecem coisas.”

Jacarés são comuns em Lake Hunter e não são particularmente agressivos. “É difícil chamá-los de agressivos, nossos jacarés costumam só ficar pegando sol nas margens,” disse Gross. “De vez em quando recebemos uma chamada sobre um ataque, mas eles são muito pouco agressivos, a não ser que você os provoque de alguma maneira.”

Gross lembrou, entretanto, que os jacarés da área podem ficar mais agressivos que de costume durante a temporada de acasalamento, que vai de abril a junho. Na quarta, a polícia de Lakeland retornou a Lake Hunter para responder a uma chamada sobre outro jacaré que foi visto com alguma coisa entre as mandíbulas. “A pessoa pensou que fosse outro corpo, mas era só um gato,” disse o policial.