Jeff Sessions é exonerado do cargo de procurador-geral um dia depois das eleições

Presidente Trump já havia deixado claro sua insatisfação com Sessions, que se recusou a interferir nas investigações sobre a Rússia

0
875
Jeff Sessions
Jeff Sessions

O presidente Donald Trump exonerou o procurador-geral Jeff Sessions do cargo na tarde desta quarta-feira (7). Trump esperou menos de 24 horas pelo fim das eleições para demitir Sessions, desafeto declarado do presidente.

“Conforme solicitado, estou submetendo a minha demissão”, escreveu em carta endereçada a John Kelly, chefe de gabinete da Casa Branca.

Mathew Whitaker vai assumir interinamente o cargo, segundo o próprio presidente postou em seu Twitter.

“Nós temos o prazer de anunciar que Matthew G. Whitaker, chefe de gabinete de Jeff Sessions no Departamento de Justiça, é o novo procurador-geral de forma interina. Agradecemos a Jeff Sessions pelo serviço prestado ao País e desejo a ele o melhor. Um substituto será indicado em breve”, postou Trump.

O presidente atacou Sessions publicamente por diversas vezes em público, depois que o então procurador-geral se recusou a interferir nas investigações da participação russa nas eleições de 2016. “Eu tenho um procurador-geral que nunca teve o controle do Departamento de Justiça”, disse Trump em agosto deste ano.

Conhecido por ser linha-dura com imigrantes, o Jeff Sessions tomou diversas medidas, à frente do Departamento de Justiça, contra os imigrantes. Ele foi acusado de trocar juízes de casos imigratórios “para que os imigrantes sejam deportados mais rapidamente”, contratar novos juízes e por tomar outras ações contra os indocumentados.