Joe Biden vence primárias do Partido Democrata na Flórida, Illinois e Arizona

O ex-vice-presidente amplia vantagem sobre Bernie Sanders, que ainda não desistiu de pré-candidatura

0
581
Joe Biden saiu vitorioso da Super Tuesday (Foto Divulgação Campanha Joe Biden)

O pré-candidato Democrata Joe Biden lidera com folga a disputa pela vaga do Partido Democrata para enfrentar Donald Trump nas urnas em novembro. Biden venceu as eleições primárias nos estados da Flórida, Illinois e Arizona, realizadas na terça-feira (17), ampliando sua vantagem sobre Bernie Sanders.

Biden, 77 anos e ex-vice-presidente de Barack Obama, liderou com folga sobre o senador de Vermont, 78, no maior dos três estados que realizaram primárias nesta terça nos Estados Unidos, apesar da pandemia de coronavírus, segundo CNN e MSNBC.

Em um discurso dedicado em grande parte à crise da Covid-19, o ex-vice-presidente americano afirmou que deseja “unir o partido após uma ótima noite”. Biden também reservou palavras para os jovens inspirados pela mensagem de Sanders: “Eu escuto vocês, sei o que está em jogo, sei o que temos que fazer”, disse.

“Sanders e eu não concordamos na tática, mas compartilhamos a mesma visão: prover saúde pública acessível para todos os americanos, reduzir a desigualdade de renda que aumentou tão drasticamente e enfrentar a ameaça existencial de nosso tempo, a mudança climática”, declarou.

A vitória no Arizona, somada aos triunfos na Flórida e no Illinois, dará a Biden uma vantagem quase insuperável sobre Sanders para a indicação democrata visando a eleição presidencial de 3 de novembro.

O estado de Ohio também pretendia votar nesta terça-feira, mas o governador Mike DeWine declarou “emergência de saúde” e adiou a primária diante da pandemia.

Bernie Sanders, por sua vez, não se deu por vencido e até comentou o que pretende fazer para combater pandemias como a do coronavírus. “Em momentos de crise como esta, temos que ficar juntos. Vamos gastar $2 trilhões para combater mortes, retomar os empregos e evitar uma catástrofe na economia”, disse Sanders. (Com informações da CNN)