Jornalista critica mudanças no Brasileirão, que terá G6 em vez de G4

Aumento de quatro para seis no número de vagas para a Libertadores vai transformar o torneio numa espécie de classificatória para a Taça

0
1904
Jornalista Vitor Guedes
Jornalista Vitor Guedes

DA REDAÇÃO – Uma mudança confirmada no domingo (2) pela CBF determinou que no próximo ano o Campeonato Brasileiro terá seis classificados para a Taça Libertadores da América, em vez dos quatro atuais. Em entrevista ao programa Seleção, da SporTV, o jornalista Vitor Guedes disse que a mudança é um “tiro no pé” do Brasileirão, e que a valorização da classificação do torneio continental esvazia a importância do nosso campeonato.

“Os clubes gostaram, porque há mais vagas, mas acho que isso vai prejudicar muito o campeonato”, disse Vitor. “Quem participa do Brasileirão já começa o campeonato pensando na vaga. Acho péssimo para nós, uma desvalorização”.

Vitos lembrou ainda que há três anos um time brasileiro não chega a final da Libertadores. O último foi o Atlético-MG, em 2013. “Há três anos que o Brasil não chega lá, e passamos o ano todo dizendo ‘vamos para a Libertadores’. O Brasileirão vai virar uma pré-Libertadores gigante e interminável”.

Vitor lembrou também que desde 2003 que um time que vence a Libertadores não briga pelo título do Brasileirão. O melhor desempenho foi o do Internacional, em 2006, que foi campeão da Libertadores e vice do Brasileiro.

O jornalista ainda lembrou que, desde 2003, com o Brasileiro em sistema de pontos corridos, um time que chega ao título da Libertadores não fica na briga pelo título brasileiro, e cita exceção próxima disso o Internacional que foi campeão continental em 2006 e vice do Brasileiro no mesmo ano.

“Acho um colonialismo gigantesco a desvalorização que a gente faz do Brasileiro em prol da Libertadores. Não acho que Libertadores seja nada, mas o fato de a gente desvalorizar a gente como se só importasse (a Libertadores). É mais difícil ganhar de um time da Bolívia ou ganhar do rival do outro estado? Acho que devia valorizar mais um Corinthians x Flamengo e um Cruzeiro x Grêmio do que um Santos x Once Caldas. Não estou dizendo que não tem que ganhar a Libertadores, mas essa obsessão que a gente tem agora vai ficar pior”, concluiu Vitor Guedes.