Jovem morto na fronteira do México é enterrado em Minas Gerais

Jefferson saiu do Brasil em 2 de novembro e foi encontrado morto 10 dias depois em um rio na cidade de Nuevo Laredo, no México

0
5091
Jefferson morreu na fronteira do México com os EUA
Jefferson morreu na fronteira do México com os EUA

No domingo (4), foi sepultado, sob forte comoção, o corpo de Jefferson Eduardo de Oliveira, de 20 anos, que foi encontrado morto em um rio na fronteira do México com os Estados Unidos. O velório e enterro ocorreram em Plautino Soares, distrito de Sobrália (MG). O corpo do brasileiro apresentava sinais de agressão. Jefferson saiu do Brasil em 2 de novembro e foi encontrado morto 10 dias depois em um rio na cidade de Nuevo Laredo, no estado mexicano de Tamaulipas. As informações são do Brazilian Voice.

Bastante emocionado, o pai de Jefferson, o motorista Reginaldo Eduardo de Oliveira, de 39 anos, disse que “ele sempre sonhou em ir para os Estados Unidos, mas eu não queria que fosse. Sempre tive um mau pressentimento quanto a isso. Estão nos dizendo que tem outro brasileiro que também foi encontrado morto. Eles podem ter sido assassinados por lá e a gente não está sabendo de nada”.

No sábado, 12 de novembro, as autoridades mexicanas na cidade de Nuevo Laredo, no estado de Taumalipas, encontraram no Rio Grande o corpo de Jefferson Eduardo de Oliveira, de 20 anos, natural de Sobrália (MG), que entrava entrar clandestinamente nos Estados Unidos. O jovem casou-se há seis meses e planejava encontrar-se com parentes que moram em Massachusetts. O sonho do jovem era construir um apartamento para ele e a esposa em cima da casa da mãe e comprar um carro novo.

Conforme Vanessa Oliveira, prima de Jefferson, a polícia local informou que o brasileiro, aparentemente, foi espancado até a morte e seu corpo jogado no rio. O reconhecimento da vítima foi feito através de uma tatuagem que tinha no pulso direito com o nome da mãe e pelas roupas que trajava. O tio do jovem, Eduardo de Oliveira, que reside em Massachusetts, foi comunicado pelas autoridades na quarta-feira (16). Antes da perigosa viagem, a esposa de Oliveira havia pregado do lado interno da calça comprida que ele vestia o nome e número do telefone do tio. As autoridades calculam que o corpo da vítima estava há pelo menos três dias no rio.

Jovem foi sepultado no interior de MG
Jovem foi sepultado no interior de MG