Juiz condena homem que matou 12 em cinema a 3.318 anos de prisão

Crime aconteceu em Aurora, no Colorado, em 2012; pena de morte não foi dada devido à falta de entendimento entre jurados

0
1004

DA REDAÇÃO (com AP) – James Holmes, que em 2012 abriu fogo contra pessoas que assistiam a um filme em um cinema do Colorado, matando 12 delas e ferindo 70, foi sentenciado na quarta-feira (26) a uma pena de 3.318 anos de prisão. A sentença se soma às penas de prisão perpétua, que já haviam sido definidas no dia 7 de agosto. Após proferir a sentença, o juiz Carlos A. Samour Jr. pediu que Holmes fosse retirado. “Tirem o réu da minha corte, por favor”, disse.

Os presentes ao tribunal aplaudiram a declaração do juiz ao encerrar o caso, finalizando uma espera de três anos para que o atirador fosse sentenciado. Sobreviventes, parentes e alguns dos jurados que estavam na corte comemoraram e abraçaram promotores e policiais. Alguns choraram.

Samour sentenciou James Holmes, de 28 anos, a 12 prisões perpétuas consecutivas sem possibilidade de liberdade condicional, uma para cada uma das pessoas que ele matou em 20 de julho de 2012, durante o ataque a uma sala lotada de cinema na estreia do filme “The Dark Knight”. Ele então acrescentou outros 3.312 anos por 70 condenações de tentativas de homicídio, e seis anos pela posse de explosivos.

“O réu não merece qualquer empatia”, disse o juiz. “E, por esta razão, a corte impõe a sentença máxima permitida pela lei”.

Samour informou as sentenças após um intenso discurso condenando Holmes como um desistente raivoso que deixou de lado sua vida e direcionou seu ódio a matar e causar danos a vítimas inocentes e centenas de membros de suas famílias.

O juiz foi respeitoso com Holmes durante o longo processo de julgamento e os meses de audiências prévias à sentença. Mas, no último dia na corte, não fez questão de disfarçar seu desprezo. “É quase impossível compreender como um ser humano é capaz de tais atos”, disse.

Pena de morte não foi dada
Samour não teve opção a não ser condenar Holmes à prisão perpétua sem condicional, em vez da pena de morte, após o júri não chegar a um acordo no início do mês. Promotores disseram que 11 jurados votaram pela pena de morte, mas um optou pela prisão perpétua. Sob as leis do Colorado, a pena de morte só pode ser imposta se houver unanimidade entre os jurados.

O advogado de defesa de Holmes, Daniel King, disse que seu cliente não irá apelar das condenações.