Juiz suspende ordem de Trump com relação a seguro de saúde

Medida da Casa Branca dificultava acesso de imigrantes que não comprovassem condições de arcar com cuidados médicos

0
1178
Imigrantes têm uma probabilidade três vezes maior que os cidadãos americanos de ficarem sem cobertura médica (Foto: James Gathany/Pixnio)
Imigrantes têm uma probabilidade três vezes maior que os cidadãos americanos de ficarem sem cobertura médica (Foto: James Gathany/Pixnio)

O juiz Michael Simon, de Portland, no estado de Oregon, suspendeu ordem do presidente Donald Trump que obrigava os imigrantes a comprovarem ter seguros de saúde ou que podem pagar por serviços médicos antes de receber o visto de entrada no país.

Uma organização sem fins lucrativos e sete cidadãos americanos entraram na Justiça alegando que a medida impediria a vinda de cerca de dois terços dos imigrantes legais, além de atingir em cheio os que chegam ao país com vistos patrocinados pelas famílias. Um estudo da Kaiser Family Foundation mostrou que os estrangeiros legalizados têm uma probabilidade três vezes maior que os cidadãos americanos de ficarem sem cobertura médica.

Ao exigir, em outubro, a prova de seguro de saúde para imigrantes, Trump justificou dizendo que os custos associados a esses cuidados médicos são repassados ​​ao contribuinte americano na forma de impostos mais altos. “Estamos felizes que o tribunal entenda a importância de impedir esta proibição, mas este é apenas o primeiro passo”, afirmou Esther Sung, advogada da Justice Action Center, uma organização de apoio aos imigrantes.