Livro sobre pingüins gays causa polêmica nos EUA

And Tango Makes Three é baseado na história real de dois pingüins machos que criam o filhote de um ovo fertilizado no zoológico Central Park, em Nova York

0
826

Um livro ilustrado sobre dois pingüins machos que criam um bebê pingüim teve uma recepção conturbada na cidade de Shiloh, que se preocupa com a disponibilidade do livro a estudantes do Ensino Primário, e com a relutância dos governantes em restringir a acesso à obra.

As preocupações são as últimas envolvendo And Tango Makes Three, o livro infantil ilustrado baseado em uma história real de dois pingüins machos – Roy e Silo – do zoológico Central Park, em Nova York, que adotaram um ovo fertilizado e cuidaram do filhote como se fosse deles.

Reclamando do tom homossexual, alguns pais da Escola Primária de Shiloh acreditam que o livro – disponível para a retirada na biblioteca da escola, nessa cidade de 11 mil pessoas – lida com assuntos que crianças pequenas ainda não estão preparadas para lidar.

Sendo assim, os pais pedem que o livro seja restringido a uma sessão de temas adultos, e que só possam ser retirados pelas crianças com permissão dos pais.

Até o momento, a chefe do distrito não está convencida. Apesar de um grupo, que ela criou, sugerir a mudança de classificação do livro e a necessidade de autorização dos pais para ser retirado, a Superintendente Jennifer Filyaw diz que And Tango Makes Three continuará como está, com o consentimento do promotor do distrito, que afirma que a mudança pode ser uma censura passível de ser questionada legalmente.

Filyaw considera o livro “adorável”, e a idade apropriada, sendo recomendado para crianças entre 4 e 8 anos. “Meu sentimento é de que a biblioteca é para servir a toda população”, afirma Filyaw. “Isso quer dizer que você representa as diferentes famílias da sociedade – diferentes religiões, crenças diferentes. Esse é o papel de uma biblioteca de escola.”

Lilly del Pinto achou que o livro parecia encantador quando sua filha de cinco anos, estudante da pré-escola de Shiloh, o levou para casa em setembro. Achando as ilustrações “muito bonitas”, Del Pinto disse que estava no meio da leitura do livro para sua filha, “quando o zelador do zoológico diz que os dois pingüins devem estar apaixonados”, assustando Del Pinto.

“Foi aí que eu terminei a história”, afirmou.