Londres registra atropelamento de muçulmanos como novo ataque terrorista

Homem em uma van atropelou multidão que saía de mesquita; uma pessoa morreu e dez ficaram feridas

0
1093
Policiais fecharam as ruas após ataque FOTO REUTERS
Policiais fecharam as ruas após ataque FOTO REUTERS

Uma pessoa morreu e outras dez ficaram feridas nesta segunda-feira (19), quando uma van colidiu com pedestres perto de uma mesquita no norte de Londres em um incidente que está sendo tratado como terrorismo, disse a polícia. O motorista da van, um homem de 48 anos, foi detido pelas pessoas no local, informou a polícia, que elogiou o controle da multidão, dadas as circunstâncias. As informações são do G1.

“Um homem morreu no local do ataque e oito feridos foram levados para três hospitais”, disse o comandante da unidade de polícia antiterrorista Neil Basu. “Todas as vítimas são da comunidade muçulmana”, declarou, antes de explicar que o homem atuou sozinho.

A polícia disse que oito pessoas foram levadas para três hospitais diferentes e duas pessoas foram atendidas no local por lesões menores.

O motorista da van de 48 anos, após foi detido inicialmente pelo público no local e, após prisão pela polícia, foi levado para o hospital e estará sujeito a uma avaliação da saúde mental. O homem não era conhecido pelos serviços de inteligência britânicos.

“Eu vou matar todos os muçulmanos”, gritava um homem de 48 anos enquanto testemunhas o seguravam até a chegada da Polícia Metropolitana de Londres.

A polícia foi alertada sobre o incidente pouco depois da meia-noite. Segundo o Conselho Muçulmano do Reino Unido, o veículo atropelou fieis que deixavam a mesquita no Finsbury Park. Os muçulmanos comemoram neste mês o Ramadã, em que fazem jejum até o pôr do sol e depois vão à mesquita, onde fazem orações até meia noite.

Em apenas três meses, Londres sofreu três atentados e um incêndio gigantesco em um prédio residencial em uma área pobre da cidade que, combinados, deixaram dezenas de mortos e feridos. A comissária da Polícia Metropolitana de Londres, Cressida Dick, disse que os responsáveis pelos recentes atentados querem separar a cidade, mas não conseguiram isso. Ela afirmou que o ataque foi claramente focado em muçulmanos.