Maioria dos californianos apoia presença de indocumentados nos EUA

Pesquisa revela que maioria dos eleitores do estado aprova um caminho para a legalização de imigrantes irregulares no País

0
1270

DA REDAÇÃO (com Agências) – Uma pesquisa realizada pelo Instituto de Políticas Públicas da Califórnia e divulgada pela Reuters revelou que três quartos dos californianos acham que os imigrantes indocumentados devem permanecer no país sob certas condições.

O resultado da pesquisa chega no momento em que os pré-candidatos republicanos à presidência assumem uma rígida postura anti-imigração ilegal, incluindo uma proposta de Donald Trump, líder nas pesquisas para a indicação republicana, que quer deportar todos os cerca de 11 milhões de pessoas vivendo ilegalemente no país, caso seja eleito.

“Fizemos a pesquisa por causa de todo o falatório recente sobre imigração”, disse o presidente da PPIC (por sua sigla em inglês), Mark Baldassare. “Descobrimos que os californianos, muito mais do que no resto da nação, dizem que é preciso encontrar um caminho viável para que os imigrantes indocumentados permaneçam aqui.”

Em nível nacional, a maioria também acha que os indocumentados devem ficar. De acordo com uma pesquisa da ABC News / Washington Post, 60% dos americanos são favoráveis a uma oprtunidade de legalização.

Mas os números são muito maiores na Califórnia, onde 83% dos eleitores Democratas, 53% dos Republicanos e 70% dos independentes disseram que os imigrantes indocumentados deveriam poder ficar nos Estados Unidos se pagarem uma multa e cumprirem com outros requisitos.

O apoio maior veio dos grupos étnicos no estado, com apoio de 76% dos asiáticos, 68% dos afro-americanos, 92% dos latinos favoráveis à permissão. O número de brancos que apoiam também foi expressivo – 63%.

Os que se opõem à oportunidade são na maioria Republicanos, com 43% contrários à legalização. Também 15% dos Democratas e 26% de independentes pensam da mesma forma.

Na Califórnia, 43% dos eleitores estão registrados como Democratas, enquanto 28% preferiram filiar-se ao Partido Republicano, e 24% são independentes (sem partido). Os Democratas possuem a maioria dos cargos eletivos no estado e a maioria das cadeiras no poder legislativo estadual.