Mais de 40% dos brasileiros que compraram imóveis em Miami não declararam à Receita do Brasil

De 4.765 brasileiros que compraram imóveis em Miami de 2011 a 2015, 43%, ou 2.100 pessoas, não declararam o bem à Receita Federal

0
8996
Brasileiros estão no topo da lista de compradores de imóveis na Magic City
Brasileiros estão no topo da lista de compradores de imóveis na Magic City

DA REDAÇÃO, COM FOLHA DE S.PAULO – Que os brasileiros endinheirados adotaram Miami como segundo lar, não é novidade para ninguém. Mas 43% dos compradores não declararam o imóvel à Receita Federal do Brasil, que está de olho nesses contribuintes.

De acordo com reportagem do jornal Folha de S. Paulo, de 4.765 brasileiros que compraram imóveis em Miami entre 2011 a 2015, 43%, ou 2.100 pessoas, não declararam o bem à Receita Federal, informou o órgão nesta terça-feira (18).

A partir de agosto, o Fisco vai começar a autuar esses contribuintes caso não façam adesão à segunda etapa da repatriação, que termina dia 31 de julho.

Os brasileiros são a segunda nacionalidade que mais compra imóveis na cidade americana, perdendo para os canadenses. Em termos de valores, é a primeira nacionalidade –somente em 2015, foram $730 milhões, ou seja, um valor médio de $766 mil por imóvel.

“Cerca de 75% dessas aquisições são pagas à vista, em dinheiro”, afirmou Jung Martins, subsecretário de fiscalização do órgão. “E 65% dessas aquisições foram feitas através de empresas limitadas”, declarou.

Segundo Martins, entre os que declararam o imóvel adquirido, 22% não informaram o valor integral da propriedade. “A compra desses imóveis em Miami cresceu muito de 2011 para cá”, disse. “Estamos esperando o fim do prazo da segunda etapa da repatriação, e vamos começar as autuações de quem não aderir em agosto”.

Autuações da Receita

As autuações fiscais da Receita Federal somaram R$ 73,6 bilhões no primeiro semestre deste ano, um aumento de 12,6% na comparação com o mesmo período do ano passado. É o maior valor desde o primeiro semestre de 2015, quando as autuações somaram R$ 75,1 bilhões.

O principal foco no período foram os grandes contribuintes pessoas jurídicas, que representaram 75% do total –essas autuações somaram R$ 55,2 bilhões, alta de 13,2% em relação ao mesmo período do ano passado.

A Receita informou ainda que, entre 2015 e 2017, as autuações do órgão relacionadas à Operação Lava Jato somaram R$ 12,8 bilhões. Somente no primeiro semestre, as autuações somaram mais de R$ 4 bilhões.

De acordo com Martins, 177 pessoas físicas e jurídicas relacionadas à Lava Jato ainda estão sendo investigadas.