Marc Marquez conquista quinto título de Motovelocidade no Japão

0
1877

A MotoGP vive sob a era Marc Márquez. O piloto da Honda venceu o GP do Japão e, de quebra, conquistou o quinto título da MotoGP, o sétimo mundial. O triunfo decisivo veio após o espanhol largar na sexta posição, escalar o pelotão rapidamente e travar grande duelo com Andrea Dovizioso.

O piloto da Ducati bem que resistiu, mas cedeu a liderança faltando quatro voltas para o fim e restando dois giros, caiu, deixando a corrida e o título para Márquez.

Cal Crutchlow, que chegou a “roubar” o segundo posto de Márquez durante a prova, herdou a segunda colocação, após segurar o ímpeto de Alex Rins no final.

Valentino Rossi teve bom desempenho no início, diminuiu seu ritmo, mas foi beneficiado pelas quedas nas voltas finais. O italiano foi o quarto colocado.

O fenômeno Marquez

O piloto espanhol é realmente um fenômeno das pistas sob duas rodas. Após a grande corrida de hoje no Japão, Marc Márquez está a caminho de se tornar o melhor piloto de todos os tempos e, com apenas 25 anos, soma sete coroas mundiais e cinco títulos da categoria principal.

A seguir, alguns números que confirmam ser ele o principal piloto de Motovelocidade da atualidade:

• Com 25 anos e 246 dias, Márquez é o piloto mais jovem a conquistar cinco títulos na categoria principal, superando Valentino Rossi, que em 2005 alcançou o feito com a idade de 26 anos e 221 dias.

• Márquez também é o piloto mais jovem a ter sete títulos em todas as categorias, levando o recorde de Mike Hailwood, que tinha 26 anos e 140 dias quando conquistou seu sétimo título (350cc) em 1966.

• Márquez se junta a Valentino Rossi, Mick Doohan e Giacomo Agostini como o quarto piloto que conseguiu ganhar cinco campeonatos mundiais na categoria principal.

• Márquez é um dos oito pilotos que conseguiram somar sete títulos mundiais nas três categorias em que competiu. Os outros são John Surtees (7), Phil Read (7), Carlo Ubbiali (9), Mike Hailwood (9), Valentino Rossi (9), Angel Nieto (13) e Giacomo Agostini (15).

• Márquez ganhou todos os seus títulos de MotoGP em uma Honda e, juntamente com Mick Doohan, tornou-se o piloto de maior sucesso da fabricante japonesa.

• Apenas um piloto espanhol ganhou mais títulos do que Márquez: Ángel Nieto, 13 vezes (sete na classe de 125cc e seis na de 50cc) entre 1969 e 1984.

• Márquez venceu pelo menos cinco GPs por temporada nos últimos nove anos, tanto na MotoGP como nas categorias mais baixas, sendo o único que conseguiu tal sequência.

• As cinco pole positions de Márquez neste 2018 o levaram a acumular 78 nas três categorias, estabelecendo um novo recorde na era moderna.

• Em Buriram (Tailândia), há duas semanas, Márquez tornou-se o mais jovem piloto a atingir 50 pole positions na MotoGP, com 25 anos e 231 dias. Lá, Márquez tirou o recorde de precocidade de Mick Doohan, que havia alcançado isso em 1997 na Austrália, aos 32 anos e aos 122 dias.

Com 296 pontos conquistados até agora – 102 à frente do italiano Andrea Dovizioso -, Marquez não pode mais ser alcançado na classificação. Entretanto, tem possibilidade de aumentar esta diferença, pois ainda restam três etapas para o término do Campeonato: Austrália, Malásia e Valência.

Fenômeno nas pistas em quatro rodas

Se Marquez está dominando na Motovelocidade, o inglês Lewis Hamilton está sobrando na Fórmula 1. Com 70 pontos à frente do alemão Sebastian Vettel da Ferrari, o piloto da Mercedes precisa apenas chegar em sétimo lugar no Grande Prêmio do México, marcado para este final de semana, para celebrar seu quinto título de campeão na principal categoria do automobilismo mundial. Caso haja alguma intercorrência, ele ainda terá mais duas oportunidades para confirmar o título: os Grandes Prêmios do Brasil e de Abu Dhabi.

Durante essa temporada, o talento de Hamilton fez a diferença. Mesmo enfrentando uma Ferrari aperfeiçoada com dois pilotos experientes – o também tetracampeão Vettel e Kimi Raikkonen -, soube reverter o favoritismo da equipe italiana, que dominou a primeira parte da temporada. Contou também com o apoio da equipe Mercedes que claramente o favoreceu, inclusive dando ordens explícitas para Valteri Bottas dar passagem ao piloto inglês que durante boa parte da temporada estava brigando pelo título com Sebastian Vettel. Esta atitude deixou Bottas insatisfeito, mas como segundo piloto precisa acatar ordens da equipe. Este episódio calou a boca de alguns patrioteiros que criticaram Rubens Barrichello e Felipe Massa que precisaram dar passagem a Michael Schumacher quando ambos integraram a equipe Ferrari, em diferentes ocasiões. É assim que as equipes trabalham, por isto, no início da temporada já estão definidos quem são os primeiros e os segundos pilotos.

Por falar em pilotos finlandeses, Kimi Raikkonen interrompeu a seca que durava desde o GP da Austrália em 2013, quando havia conquistado sua última vitória. Ao ocupar o posto mais alto no pódio do GP dos Estados Unidos no último final de semana, Raikkonen se tornou o piloto da Finlândia com mais vitórias na Fórmula 1, ultrapassando o compatriota Mika Hakkinen. Não poderia haver melhor maneira de se despedir da Ferrari, pois Kimi vai trocar de lugar com Charles LeClerc. O francês estará no cockpit da Ferrari em 2019, enquanto o veterano finlandês pilotará uma Sauber. Provavelmente, ele quebrará o recorde de Barrichello que disputou 322 corridas e obteve 68 pódios, 11 vitórias, 15 poles, dois vice-campeonatos mundiais, em 2002 e 2004, e participou de seis temporadas na equipe mais tradicional e famosa do mundo, a Ferrari. Ninguém passou mais fins de semana guiando um F1 do que Barrichello. Agora, Kimi pode superar o piloto brasileiro. Pelo menos, ele tem um título de campeão da F1…

Grêmio dá passo gigante para a final

Um resultado de certo modo surpreendente praticamente colocou o Grêmio na final da Copa Libertadores da América. O gol de cabeça de Michel no segundo tempo, escorando o escanteio cobrado por Alisson, determinou a vitória de 1 a 0 do Tricolor gaúcho sobre o River Plate no Estádio Monumental de Nuñez, calando os 60 mil torcedores argentinos que foram incentivar a melhor equipe da Argentina na atualidade e que estava invicta em seu estádio há quase um ano.

A vitória, obtida no dia 23 de outubro, torna-se ainda mais relevante pelo fato de o Grêmio ter jogado sem seus dois principais jogadores: Everton e Luan. Os dois, aliás, são dúvidas para o jogo de volta em Porto Alegre, marcado para o dia 30 de outubro na Arena do Grêmio, que deverá estar completamente lotada. Confirmada apenas a ausência do zagueiro Kanemann por ter recebido o terceiro cartão amarelo. Ironicamente, Kanemann é o argentino que atua no Tricolor dos Pampas. Há que se ressaltar o bom trabalho desenvolvido por Renato Portaluppi – o único brasileiro a ter vencido a Copa Libertadores da América como jogador e técnico. Por sinal, ele pode ser bicampeão como técnico, porque o Grêmio é o atual campeão da competição. Entre os dois embates com o River Plate – que vem sendo bem treinado por Marcelo Gallardo -, o Imortal enfrentará o Sport Club do Recife pelo Brasileirão. Um jogo teoricamente fácil para o clube de Porto Alegre, pois o Rubro-Negro pernambucano é o vice-lanterna do Campeonato Brasileiro. Na certa, Renato deverá escalar uma equipe reserva para preservar os titulares para o jogo decisivo da semifinal contra o River Plate.

Palmeiras sofre revés em Buenos Aires

Ao contrário do Grêmio, o Palmeiras se deu mal em Buenos Aires na quarta-feira (24). Foi derrotado por 2 a 0 pelo Boca Juniors em La Bombonera, com dois gols do artilheiro De Benedetto, e complicou bastante suas chances de ir à final da Copa Libertadores da América. Na partida de volta, marcada para o dia 31 de outubro, o Verdão precisa vencer a equipe argentina por três gols de diferença para superar a vantagem do adversário ou devolver o placar de 2 a 0 para levar a decisão para a série de penalidades máximas. Tarefa difícil para a equipe paulista que sonha com a conquista da Copa Libertadores da América. Pior ainda para o técnico Luiz Felipe Scolari é a situação de seu time no Brasileirão. Líder da competição com quatro pontos de vantagem sobre o segundo colocado. Enfrentará justamente o Flamengo no Maracanã e o clube carioca tentará vencer a partida a fim de reduzir a diferença para apenas um ponto. Ou seja, Felipão não terá sequer a possibilidade de poupar os titulares para o jogo decisivo contra o Boca Juniors, pois corre o risco de o Palmeiras não vencer nenhuma das competições. Para piorar a situação, não poderá contar com alguns jogadores, suspensos por causa do terceiro cartão amarelo (Lucas Lima Bruno Henrique e Mayke) e por expulsão (Deyverson). Semana difícil para o Verdão.

Flu apenas empata em casa pela Sul-Americana

Foi um jogo com ingredientes de decisão do futebol sul-americano contemporâneo. Bom público, noite chuvosa e o árbitro de vídeo. Melhor para o Nacional-URU que, na quarta-feira (24), no Nilton Santos, buscou o empate em 1 a 1 aos 42 minutos do segundo tempo e saiu em pequena vantagem no confronto diante do Fluminense pelas quartas de final da Copa Sul-Americana – Gum havia aberto o placar, em lance com intervenção do VAR. A partida de volta está marcada para a próxima quarta-feira, dia 31, no Parque Central, em Montevidéu. Como na Sul-Americana o gol fora de casa é critério de desempate, o Nacional passa com empate sem gols. Novo 1 a 1 leva a decisão aos pênaltis. Igualdade a partir do 2 a 2 favorece ao Fluminense. E, claro, quem vencer se classifica para encarar na semifinal o vencedor entre Bahia e Atlético-PR. No sábado, pelo Brasileirão, o Fluminense desafia o Santos, na Vila Belmiro.

Furacão derrota Bahia em Salvador

Pressão do time mandante, dois gols anulados pela arbitragem e Atlético-PR sorrateiro. Com o apoio da torcida, o Tricolor foi para cima do Furacão do começo ao fim, mas saiu da Fonte Nova com o resultado indesejado. A equipe comandada por Enderson Moreira até balançou as redes de Santos por duas vezes, mas viu a arbitragem anular os dois gols de maneira polêmica. O Rubro-Negro, por sua vez, foi frio e calculista. Pablo, aos 21 minutos jogou um balde de água fria no Bahia com um golaço. Até o apito final, apenas um Bahia nervoso dominado pelos toques do Atlético-PR. O jogo de volta entre rubro-negros e tricolores será realizado na próxima quarta-feira, na Arena da Baixada. Aquele que avançar às semi enfrenta Fluminense ou Nacional-URU, equipes que empataram em 1 a 1, no Nilton Santos. As duas equipes entram em campo no sábado (27). O Bahia vai a São Paulo enfrentar o Corinthians, enquanto o Atlético-PR recebe o Botafogo em, Curitiba.

Ceará surpreende Cruzeiro no Mineirão

O Ceará respira – e muito – na Série A do Campeonato Brasileiro. Na noite de quarta-feira (24), o Vozão foi ao Mineirão e venceu o Cruzeiro por 2 a 0 com dois gols do inspirado atacante Arthur, em compromisso atrasado da 28ª rodada da competição. Com o triunfo, chegou aos 34 pontos, empurrou o Vitória para a zona de rebaixamento e chegou à 14ª colocação. A Raposa, por sua vez, estacionou nos 40 pontos, em 10º, e perdeu a oportunidade de subir duas posições na tabela. O Cruzeiro volta a jogar no Mineirão no sábado. O time recebe o Paraná em compromisso válido pela 31ª rodada do Brasileirão. O Ceará só joga pela rodada de número 31 na segunda-feira (2), quando enfrentará o Atlético-MG no Castelão, em Fortaleza.