Médico afirma que Bolsonaro pode ir a debates se quiser

Candidato ainda tem algumas limitações físicas depois da facada, mas poderia participar se quisesse

0
999
O deputado sofreu um ataque a faca durante ato em Minas Gerais, em 6 de setembro de 2018
O deputado sofreu um ataque a faca durante ato em Minas Gerais, em 6 de setembro de 2018

DA REDAÇÃO – O médico responsável pelos cuidados do candidato à Presidência do PSL, Jair Bolsonaro , voltou a afirmar que a participação em debates de TV e em agendas públicas depende do próprio presidenciável. Adversário de Bolsonaro no segundo turno, Fernando Haddad (PT) tem explorado na propaganda eleitoral e, durante entrevistas, que o seu rival tem receio de debater por não ter propostas para o país. As informações são do G1.

Em entrevista recente, Bolsonaro disse “estar com a mão na faixa” e reconheceu que não comparecer a debates pode ser uma estratégia de seus coordenadores de campanha.

O deputado se recupera de um ataque a faca durante ato em Minas Gerais, em 6 de setembro, mas tem retomado compromissos de campanha em público.

O cirurgião Antonio Luiz Macedo, médico do Hospital Albert Einstein, de São Paulo, disse que ir ou não aos debates: “depende dele.” Em nota oficial, divulgada na quinta-feira (18) após a visita de cerca de duas horas, informou que Bolsonaro foi submetido a uma avaliação médica multiprofissional, de exames de imagem e laboratoriais, que se mostraram estáveis. “Apresenta boa evolução clínica e a avaliação nutricional evidenciou melhora da composição corpórea, mas ainda exigindo suporte nutricional e fisioterapia”, registra o comunicado. A nota foi complementada quarenta minutos depois informando que a colostomia ainda “permanece como fator limitante relativo”.

Na ocasião, Bolsonaro admitiu que não ir aos debates é estratégia de campanha já usada por candidatos em outras eleições, citando o ex-presidente Luiz Inácio Lula de Silva. “Agora vou debater com um cara que é um poste e um pau mandado do Lula? Tenha santa paciência”, disse. “Política é estratégia, lógico.”

Bolsonaro foi alvo de um ataque a faca, no dia 6 de setembro, em Juiz de Fora, cometido por Adélio Bispo de Oliveira, foi autuado em flagrante pela Polícia Federal com base na Lei de Segurança Nacional. O candidato do PSL recebeu alta do hospital Albert Einstein em 29 de setembro depois de passar 23 dias hospitalizado.

Há ainda dois debates agendados entre presidenciáveis na televisão, o da Record, neste domingo, dia 21, às 10 da noite; e o da TV Globo, no próximo dia 26 de outubro, às 9:30 da noite.