Médico que vendia ‘kit covid’ com cloroquina na Califórnia pode pegar 20 anos de prisão

Medicamento era contrabandeado da China e vendido junto com o pacote por quatro mil dólares

0
1213
Estudos científicos comprovam que a hidroxicloroquina é ineficaz contra a covid-19 (foto: Pixabay)

O médico Jennings Ryan Staley, de 46 anos de idade, pode pegar até 20 anos de cadeia após admitir ter contrabandeado hidroxicloroquina para comercializar em um “kit covid”, nos EUA.

Conforme a acusação do FBI , o médico contrabandeou 11,7 kg do medicamento em pó de um fornecedor chinês. O produto teria sido entregue em barris com rótulo de “extrato de inhame”. Ele admitiu que pretendia vender o pó de hidroxicloroquina em cápsulas como parte do kit.

Staley atuava no  Skinny Beach Med Spas em San Diego, na Califórnia, e arredores, e comercializou “kits Covid” nos meses de março e abril do ano passado, prometendo uma “cura milagrosa”.  Estudos científicos comprovam que o medicamento é ineficaz no combate ao coronavírus.

No acordo de confissão assinado na sexta-feira (16), ele admitiu que descrevia o tratamento aos pacientes como uma  “bala mágica”, uma “arma incrível” e “quase bom demais para ser verdade”. Staley também afirmou que os remédios forneceriam pelo menos seis semanas de imunidade.

Um agente disfarçado do FBI comprou seis “ Kits Covid” por um valor de quatro mil dólares. Além da cloroquina, o pacote trazia azitromicina e xanax.

“Enquanto os profissionais de saúde em todo o mundo trabalhavam incansavelmente na linha de frente de uma pandemia mundial, este médico usou sua posição de confiança para lucrar com os medos causados à população pela covid-19”, disse o procurador em exercício dos EUA Randy Grossman. “Estamos empenhados em proteger o povo americano de tais golpes e responsabilizar os golpistas”, completou.

O acusado também assumiu que tentou obstruir uma investigação federal sobre sua conduta mentindo para agentes do FBI.

A próxima audiência de Staley no tribunal será no dia 8 de outubro de 2021, perante o juiz distrital Gonzalo Curiel de San Diego. Caso seja condenado, o médico poderá passar até duas décadas na prisão.