Menino morre após partida de game online e amigos notam pela webcam

Gustavo Detter, de 13 anos, se enforcou na casa do pai em São Vicente, SP ao jogar “choking game”

0
2357
Gustavo Detter, de 13 anos, morreu no domingo (16)
Gustavo Detter, de 13 anos, morreu no domingo (16)

DA REDAÇÃO (com Estadão) – A morte de um menino de 13 anos depois de ter se enforcado jogando o “Choking Game” –  um jogo on-line em que os participantes chegam a desmaiar – chocou o Brasil e chamou a atenção dos pais para que tenham mais atenção com os filhos dessa faixa etária em casa.

A suspeita da família é que Gustavo Riveiros Detter brincava com amigos e acabou perdendo o jogo. O caso aconteceu em São Vicente, no litoral de São Paulo, e está sendo investigado pela polícia. As informações são do G1.

A corda utilizada pelo menino sustentava um saco de boxe no teto do quarto. Após o enforcamento, o estudante chegou a ser socorrido com vida para o Hospital Municipal de São Vicente ainda na noite de sábado (15). Depois, foi transferido para o Hospital Ana Costa, em Santos, e morreu neste domingo (16).

Um tio materno do garoto disse ter colhido informações sobre a morte do sobrinho. Segundo ele, Gustavo jogava o game League of Legends. Quando alguém perdia o jogo, os participantes davam ao perdedor o desafio do Choking Game ou “jogo da asfixia”, em que a pessoa interrompe o fluxo de ar com as mãos ou com objetos para induzir desmaios, tontura ou estado de euforia.

De acordo com o boletim de ocorrência, o garoto brincava com outros três colegas quando aconteceu o enforcamento. A cena teria sido acompanhada em tempo real pelos outros participantes do jogo, já que todos usavam a internet com uma webcam conectada para se comunicar.

Conversas obtidas pelo parente em aplicativos de mensagem e no próprio computador usado por Gustavo, afirmam que essa não seria a primeira vez que o estudante teria participado do suposto desafio. Um dos jogadores escreveu em uma das conversas que achava que o ‘Detter’ (sobrenome da vítima) tinha ido se enforcar de novo.

Pela transmissão ao vivo da webcam, os colegas perceberam que a vítima parecia estar “desfalecida” e pediram para que uma prima, que estava no quarto ao lado de Gustavo, fosse verificar.