Mesmo diante de polêmicas, Bolsonaro defende indicação de filho a cargo de embaixador

O presidente criticou ainda a atuação das embaixadas brasileiras nos últimos anos

0
1152
Eduardo está cotado para assumir a embaixada brasileira em Washington DC (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil)
Eduardo Bolsonaro não vai mais ser indicado para embaixador nos EUA (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil)

O presidente Jair Bolsonaro voltou a defender o filho, Eduardo Bolsonaro, à frente da embaixada brasileira em Washington. Ele disse acreditar que um comunicado já foi feito aos Estados Unidos, mas afirmou que em “um telefonema simples” dele para o presidente americano Donald Trump, essa situação seria resolvida. “Não preciso nem falar isso pra ele (Trump), tenho certeza de que dará sinal positivo”, disse ele, lembrando ainda que a aprovação do nome do filho depende do Senado.

O presidente criticou ainda a atuação das embaixadas brasileiras nos últimos anos. “Se pegar de 2013 para cá, o que os embaixadores fizeram de bom pra nós? Nada”, disse. E sinalizou que a nomeação de um filho de presidente para o cargo de embaixador poderia acelerar o acesso ao presidente do país em questão. “Imagina se o filho do Macri quisesse ser embaixador no Brasil. Ligando para mim. Quando ele seria atendido? Amanhã, semana que vem ou imediatamente? Essa é a intenção”, disse.

Ele voltou a elogiar Eduardo. Segundo o presidente, após a eleição em que “teve uma enxurrada de votos”, o filho “ganhou notoriedade, rodou o mundo e tem amizade com a família Trump”. Além disso, afirmou que o filho só fritou hambúrguer nos Estados Unidos para bancar sua estadia no país e frisou que Eduardo está com “inglês muito bom”. (Com Estadão Conteúdo).