Miami Open 2018 marca despedida de Key Biscayne

Um dos mais badalados torneios de tênis da temporada será jogado em outro local a partir de 2019

0
2004
Marcelo Melo e Bruno Soares
Marcelo Melo e Bruno Soares

Se você é amante de tênis e vive no Sul da Flórida, ou está aqui como visitante, anote em sua agenda:  Miami Open começa em 19 de março e termina no dia 1º de abril, com a final masculina disputada no Domingo de Páscoa.

Há três décadas esse torneio vem desperatando interesse dos jogadores, público e patrocinadores em razão de seu alto nível. Este ano, aliás, há uma atração a mais para os fãs do Miami Open. Será a despedida da competição das quadras do Crandon Park Tennis Center, localizadas na encantadora ilha de Key Biscayne. A partir de 2019 Miami Open será disputado no Hard Rock Stadium, onde fica o campo do Miami Dolphins. A necessidade de expansão e o tráfego terrível que perturbava os moradores da ilha foram fatores preponderantes para a mudança de local.

O torneio reúne os tenistas mais valorizados do mundo pois é chamado informalmente como “5º Grand Slam”.  Na chave feminina, participam Caroline Wozniacki (DEN); Simona Halep (RUM); Elina Svitolina (UCR); Garbiñe Muguruza (ESP); Karoilina Pliskova (CHE); Jelena Ostapenko (LET); Caroline Garcia (FRA); Venus Williams (EUA); Angelique Kerber (ALE); Julia Goerges (ALE) e Johanna Konta (GBR) – campeãop no ano passado. A americana Serena Williams e a bielorussa Victoria Azarenka receberam convites da organização para participar. A representate brasileira é Beatriz Haddad Maia.

Na chave masculina, estão presentes Roger Federer (SUI); Marin Cilic (CRO); Grigor Dimitrov (BUL); Alexander Zverev (ALE); David Goffin (BEL); Jack Sock (EUA); Juan Martin del Potro (ARG); Pablo Carreno Busta (ESP); Kevin Anderson (AFS); Sam Querrey (EUA); Novak Djokovic (SER); Nick Kyrgios (AUS); Tomas Berdych (CHE); John Isner (EUA) 18 e Fabio Fognini ( ITA) entre outras feras. João Souza. O “Feijão”, será o representante brasileiro no qualifying – além de Bruno Soares Marcelo Melo nas duplas.

Dupla brasileira tem chances

Bruno Soares e Marcelo Melo jogarão juntos o Miami Open. Com Alexander Peya, o parceiro regular de Soares, na Áustria para ver o nascimento do segundo filho e com Ivan Dodig, o parceiro de Melo lesionado, ambos ficaram sem dupla na última hora e resolveram se unir para jogar o 2o Masters 1000 da temporada, que começa nesta quarta-feira, em Key Biscayne.

Bruno e Marcelo usarão algumas vagas que a ATP deixa para casos como estes, em que um parceiro se lesiona e é preciso formar uma dupla de última hora, fazendo a inscrição no local do torneio. “Estamos empolgados para aproveitar essa oportunidade. Nossos parceiros, por motivos diferentes não puderam jogar. O Ivan por lesão e o Alex por motivos pessoas, mas a gente está feliz que essa coincidência aconteceu e deu certo de jogarmos juntos,” comentou Soares.

Marcelo Melo vê também a oportunidade como uma preparação para os Jogos Olímpicos do Rio. “No circuito a gente não tem muitas chances de jogar junto e por uma coincidência, dos nossos parceiros não poderem estar em Miami, acabou dando certo de jogarmos aqui e isso ajuda muito na preparação para o Rio 2016. Quanto mais a gente jogar junto, melhor.”

Como estarão do mesmo lado da quadra, representando o Brasil, ambos querem aproveitar o torneio que talvez tenha mais brasileiros mundo afora, para contar ainda mais com a torcida nacional. “O torneio de Miami tem muitos brasileiros assistindo e a gente joga muito bem quando a torcida está presente, como na Copa Davis e queremos muito contar o público na torcida aqui neste evento, que é especial,” disse Bruno.

Além do sucesso na Copa Davis, em que tem um recorde de 9 vitórias e apenas 1 derrota e das quartas-de-final nas Olimpíadas de Londres, Bruno e Marcelo já jogaram juntos no circuito em diversas ocasiões. Eles tem quatro títulos (Nice, Santiago, Costa do Sauípe e Estocolmo) e outros cinco vice-campeonatos (Metz, Gstaad, Auckland, Acapulco e Estocolmo). Depois do Miami Open, ambos voltam a jogar com seus parceiros habituais.

Miami Oen, patrocinado pelo Itaú, costuma distribuir uma das maiores premiações para torneios da ATP e da WTA.