Ministério Público da Espanha pede dois anos de prisão para Neymar 

O craque da seleção brasileira e seus representantes vão ser julgados de 17 a 31 de outubro

0
612
Esse julgamento ocorrerá às vésperas da Copa do Mundo do Catar, e pode ser uma dor de cabeça para Tite (Foto: UN Geneva/Flickr)
Esse julgamento ocorrerá às vésperas da Copa do Mundo do Catar, e pode ser uma dor de cabeça para Tite (Foto: UN Geneva/Flickr)

Um procurador espanhol pediu nesta sexta-feira (29) a prisão de dois anos anos do atacante Neymar, atual camisa 10 da seleção brasileira e do Paris Saint-Germain, em um caso de peculato aberto contra o atleta e seus agentes por sua transferência do Santos para o Barcelona, em 2013. De acordo com o Ministério Público da Espanha, o craque e seus representantes vão ser julgados de 17 a 31 de outubro, ou seja, às vésperas da Copa do Mundo do Catar, marcada para começar em 21 de novembro. Além deles, os ex-presidentes do clube catalão, Josep Maria Bartomeu e Sandro Rosell, também serão réus no caso.

O processo contra eles foi aberto após uma denúncia do grupo de investimentos DIS, que detinha 40% dos direitos federativos do atacante e alegou não ter recebido tudo o que devia pela transferência do brasileiro para o Barcelona quando Rosell era presidente, e Bartomeu, vice. Já a FAAP (Federação das Associações dos Atletas Profissionais), que se uniu ao grupo DIS no processo, considera que seus direitos, constituídos por uma porcentagem das taxas de transferência, também foram violados. A promotoria, em suas conclusões provisórias, pede dois anos de prisão e uma multa de 10 milhões de euros para Neymar e cinco anos de prisão para Sandro Rosell. Além disso, pede dois anos de prisão para Neymar da Silva Santos, pai do atacante, e um para Nadine Gonçalves, a mãe, e uma multa de 1,4 milhão de euros para a empresa familiar N&N.