Missionário americano é assassinado a flechadas por tribo isolada na Índia

Homem de 27 anos foi ao local para evangelizar e foi recebido por chuva de flechas quando pôs o pé no território de acesso proibido

0
2543
Costa da ilha de Andaman Foto Getty Images - AFP
Costa da ilha de Andaman Foto Getty Images - AFP

Um missionário cristão americano foi assassinado a flechadas por integrantes de uma tribo isolada em uma ilha remota na Índia, informam as autoridades. John Allen Chau, de 27 anos, foi à Índia com visto de turista, e seguiu para as ilhas de Andaman e Nicobar para evangelizar e converter os moradores, segundo o diretor geral da polícia das ilhas, Dependra Pathak.

John Chau, de 27 anos, foi abatido em 16 de novembro quando colocou o pé na ilha Sentinela do Norte, onde a tribo de caçadores coletores vive de forma autônoma. Oficialmente, é proibido visitar esta ilha do Mar de Andaman.

“Nós nos recusamos a chamá-lo de turista. Sim, ele veio com um visto de turista, mas veio com um propósito específico para pregar em uma ilha proibida”, disse Pathak.

Ele não informou à polícia de suas intenções de viajar para a ilha para tentar converter seus habitantes.

O americano pagou pescadores locais para que o levassem a Sentinela do Norte, onde vive esta tribo frequentemente descrita como a mais isolada do planeta e que rejeita qualquer contato com o mundo exterior.

Ele recebeu uma chuva de flechas quando desembarcou na ilha, declarou à AFP uma fonte policial que pediu anonimato. Os pescadores “se assustaram e fugiram, mas retornaram no dia seguinte e encontraram seu corpo na praia”, acrescentou.

A ilha abriga a minúscula tribo sentinela, cujos membros rejeitam o contato com o resto do mundo e reagem com hostilidade e violência às tentativas de intrusos de interagir com eles.

A polícia indiana abriu uma investigação por homicídio e deteve sete pescadores envolvidos no caso. Os pescadores que o levaram até o local foram presos. (Com informações da CNN).