Morre Benito Romero, fundador da Casa do Brasil em NY

Comunidade dá adeus a brasileiro que dedicou sua vida a ajudar seus conterrâneos

0
3524
Benito Romero morreu na segunda-feira, dia 16 de outubro
Benito Romero morreu na segunda-feira, dia 16 de outubro

A comunidade brasileira que vive em New York perdeu um de seus ativistas mais antigos e atuantes, na segunda-feira (16). Benito Romero estava internado e morreu por volta das 3:45 pm. Benito foi fundador da Casa do Brasil em New York City e dedicou grande parte da sua vida a mantê-la em funcionamento, ajudando os brasileiros.

A Casa do Brasil  é uma organização sem fins lucrativos, dedicada a promover o bem-estar geral e o desenvolvimento socioeconômico sustentável da comunidade brasileira neste país.

A ideia de fundar a Casa surgiu em 1965, quando começou a promover o baile de Carnaval no hotel Woodstock, em Manhattan, e no ano de 1967, o primeiro baile de gala no Waldford Astoria Hotel.

Em sua trajetória, Benito agraciou a comunidade brasileira com shows de importantes artistas brasileiros, entre eles Chico Buarque, Martinho da Vila, Elza Soares, Jair Rodrigues e Clara Nunes. Ele também é o responsável pela primeira apresentação do rei Roberto Carlos em NY, no ano de 1973. (Com informações do Brazilian Times).

“Um amigo eterno”
Benito Romero nunca estudou no Instituto Barão do Rio Branco, mas é o maior embaixador que o Brasil já teve nos Estados Unidos. Não existe brasileiro vivido em New York por muito tempo que não alimente apreço por Benito. Também não há quem não tenha usufruído da sua generosidade, caso tenha precisado. Nunca ninguém ajudou tantos brasileiros naquela cidade como ele.
Convivi com Benito por quase uma década, acompanhei seus passos andando junto, frequentei sua casa, viajamos muito para Atlantic City, curti seus bailes de carnaval no Waldorf Astoria e torci muito pelo seu grande sonho, que era fundar a “Casa do Brasil” em NY. Ele sonhava com isso até dormindo. Eu retornei para o Brasil e muito tempo depois o sonho foi realizado. A “Casa do Brasil” existe, é uma embaixada informal comandada pelo nosso maior embaixador, à disposição dos brasileiros, como um Consulado de apoio, sem fins lucrativos.
Tudo que Benito fazia tinha o Brasil no meio, impossível desencarnar a pátria da sua alma. Um dia ele procurou o Prefeito de NY e o convenceu a colocar uma estátua de José Bonifácio num dos melhores pontos de NY, numa pracinha perto da Quinta Avenida, e ainda convenceu o Prefeito a instituir no calendário da Big Apple o “Dia do Brasil”. É nesse dia, fundado por Benito Romero, que os artistas brasileiros vão se apresentar em NY, e a cobertura da Globo não tem nem o interesse jornalístico de saber quem fundou essa data, porque ela existe. Só o Brasil tem o seu dia nos Estados Unidos, porque só o Brasil tem um Benito Romero. Natural de Nanuque, uma cidadezinha mineira que faz fronteira com o sul da Bahia, Benito alia na alma o jeito mineiro com a simpatia do baiano e a extroversão carioca. Além disso, o dom de ser a alma mais pura que existe em New York”, escreveu Hygino Schuler Vieira.