Morre John Glenn, primeiro americano em órbita

Ex-astronauta e ex-senador por Ohio tinha 95 anos e estava internado há pouco mais de uma semana

0
10273
Além de ter sido o primeiro americano em órbita, John Glenn foi o homem mais velho no espaço até hoje, ao fazer parte da tripulação do ônibus espacial Discovery, em 1998, aos 77 anos

O ex-senador e primeiro americano em órbita, John Glenn, morreu nesta quinta-feira (8), aos 95 anos. Ele estava hospitalizado há mais de uma semana, de acordo com o porta-voz do James Cancer Hospital, da Ohio University, Hank Wilson. A razão da internação ou a causa da morte não foram divulgadas. O ex-astronauta teve uma válvula artificial implantada no coração em 2014.

Terceiro americano no espaço depois das jornadas sub-orbitais de Alan Shepard e Gus Grissom, Glenn finalmente igualou o feito do russo Yuri Gagárin (primeiro homem no espaço, que voou em abril de 1961) em fevereiro de 1962, depois de dez adiamentos.

Apertado na pequena cápsula com pouco mais de 7 pés de largura (2,1m), Glenn chegou a 160 milhas de altura, completando três órbitas em volta da Terra, a uma velocidade de 17.500 milhas por hora, antes de retornar à superfície amerrissando sua Frienship 7 no oceano.

O presidente Obama disse em nota que “[Quando Glenn] decolou de Cabo Canaveral a bordo do foguete Atlas em 1962, subiram junto com ele as esperanças de uma nação. E quando a sua nave Friendship 7 retornou poucas horas depois o primeiro americano a orbitar a Terra nos lembrou que com coragem e espírito desbravador não há limite para a altura a que podemos juntos chegar.

“Com o falecimento de John, nossa nação perde um ícone, e Michelle e eu perdemos um amigo. John dedicou a vida para superar barreiras, da defesa de nossa liberdade como piloto da Marinha na Segunda Grande Guerra e na Coreia à superação do recorde de velocidade em travessia transcontinental, passando pelo feito de, aos 77 anos, tornar-se o homem mais velho a alcançar as estrelas. John sempre fez a coisa certa, inspirando as gerações de cientistas, engenheiros e astronautas que nos levarão a Marte e além – não somente para os visitarmos, mas para nos estabelecermos lá.

“Hoje, o povo de Ohio vai lembrar-se de um dedicado servidor público que representou seus colegas Buckeyes no Senado por um quarto de século, e que lutou para manter a América na liderança no campo da ciência e tecnologia. Nossos pensamentos estão voltados para sua amada esposa Annie, seus filhos John e Carolyn, e toda a família Glenn. O último dos primeiros astronautas americanos nos deixou mas, impulsionados por seu exemplo, sabemos que o nosso futuro na Terra nos lança na direção dos astros. Em nome de uma nação agradecida, Godspeed, John Glenn.”