NYT elege livro da brasileira Clarice Lispector entre melhores do ano

Coletânea de textos assinados pela escritora é descrita pelo respeitado The New York Times como “notável” e dotada de “sopro de loucura”

0
1546

DA REDAÇÃO, COM G1 – A escritora brasileira Clarice Lispector (1920-1977) está em alta entre os intelectuais americanos. Uma coletânea de contos assinados pela escritora foi publicada em julho deste ano nos Estados Unidos com o título “The complete stories” e entrou na lista dos 100 melhores livros de 2015 feita pelo jornal americano “The New York Times”.

O anúncio da lista, uma das mais aguardadas do mundo da cultura, foi feito na sexta-feira (27). Quem vota são os editores do suplemento “The New York Times Book Review”. As obras não aparecem em ordem de colocação e se dividem em dois segmentos: Ficção & Poesia e Não Ficção.

Em sua lista de melhores do ano, o “New York Times” escreve que “a brasileira foi uma das verdadeiras `vozes` autênticas da literatura latino-americana”. O jornal cita como exemplos desses “inovadores” o argentino Jorge Luis Borges (1899-1986), o mexicano Juan Rulfo (1917-1986) e o também brasileiro Machado de Assis (1839-1908).

O trecho está na crítica de Terrence Rafferty publicada em 27 de julho, na época do lançamento de “The complete stories”, que tem tradução de Katrina Dodson e edição de Benjamin Moser, biógrafo de Clarice.

Na resenha, Rafferty escreve ainda que o livro é “notável” e que “há um sopro de loucura na ficção de Clarice Lispector”.

“Frase por frase, página por página, Lispector é arrebatadora e sedutoramente estranha, mas as perceções dela surgem tão rápido, trafegando tão selvagemente entre o mundano e o metafísico, que depois de um tempo você não sabe mais onde está, se no livro ou no mundo `externo à obra`”, diz o crítico.

Clarice Lispector nasceu em Tchetchelnick, na Ucrânia. Seu nome de batismo era Haia. Ela se mudou com a família para o Brasil em 1922, aos 2 anos de idade, e lá ganhou o nome de Clarice.