Obama deveria perdoar ‘Dreamers’ antes de sair, dizem Democratas

Os jovens indocumentados, conhecidos como “Dreamers”, forneceram informações pessoais, incluindo impressões digitais e o endereço de parentes quando aplicaram para ordem executiva em 2012

0
4298
Dreamers receberam permissões de trabalho renováveis a cada 2 anos e o número do Seguro Social
Projeto tem poucas chances de passar no Seando, onde os Democratas têm maioria apertada

Um grupo de Democratas na Câmara dos Deputados pediu ao presidente Barack Obama para anistiar 750 mil imigrantes jovens que foram beneficiados temporariamente pela ordem executiva assinada em 2012. O pedido reflete a preocupação crescente com a mudança na política migratória, depois que Donald Trump assumir a presidência em 20 de janeiro de 2017.

“Não é culpa deles, mas esses americanos são prisioneiros em seu próprio país, vivendo seu cotidiano, não sabendo se serão deportados a outros países”, disse a Deputada Lucille Roybal Allard (D-CA). Ela e um grupo de legisladores ativos na política migratória enviaram uma carta a Obama fazendo o pedido, na quinta-feira (17). Entretanto, no mesmo dia, um representante da Casa Branca informou que o poder de clemência do presidente não é tão vasto e que somente o Congresso poderá fazê-lo.

Os jovens indocumentados, conhecidos como “Dreamers”, forneceram informações pessoais, incluindo impressões digitais e o endereço de parentes quando aplicaram para ordem executiva em 2012. Eles receberam permissões de trabalho renováveis a cada 2 anos e o número do Seguro Social, como parte do programa. Os democratas estão preocupados que tais informações sejam utilizadas para facilitar as deportações na próxima administração.

A campanha política de Trump teve como base a construção de um muro ao longo da fronteira com o México e a deportação de todos os 11 milhões de imigrantes indocumentados. Ele suavizou o discurso na entrevista no programa “60 Minutos” no domingo (20), dizendo que focalizaria nos imigrantes que cometeram crimes, que o presidente eleito considerou “membros de gangues, traficantes de drogas” que, segundo seus cálculos, chega a 3 milhões.

Vários legisladores de ambos os partidos expressaram preocupação com as propostas de Trump e sua postura com relação a imigração. Um considerável número de republicanos em ambas as câmaras disse essa semana que estão particularmente preocupados sobre como ele lidará com os jovens beneficiados com as ações de Obama em 2012. Os senadores Jeff Flake (R-Ariz.) e Lindsey Graham (R-SC) estavam entre os legisladores que disseram que o Congresso terá que tomar alguma ação para regularizar o status dos jovens, quando o prazo das permissões de trabalho de 2 anos começar a vencer. (Com Brazilian Voice).