Ministério da Saúde desaconselha o uso de ibuprofeno para tratar Covid-19

Ibuprofeno pode agravar a infecção, segundo a Organização Mundial de Saúde

0
861
Ibuprofeno deve ser evitado em casos suspeitos de coronavírus (Foto Agência Brasil)

O Ministério da Saúde do Brasil não recomenda o uso de ibuprofeno no tratamento de infecções pelo Covid-19. O alerta havia sido feito pela Organização Mundial de Saúde (OMS) que voltou atrás na quinta-feira (19) e informou que “não tem embasamento científico suficiente para não recomendar o uso do medicamento”. O Ministério da Saúde, no entanto, manteve a postura e indica medicações analgésicas, tais como paracetamol e dipirona. Vale lembrar que a dipirona é permitida no Brasil, mas proibida nos EUA.

Os anti-inflamatórios não esteroidal, como ibuprofeno, costumam ser utilizados em casos de dor, febre, inflamações e cólicas menstruais. Apesar de muito difundidos, autoridades sanitárias questionam a eficácia dos medicamentos.

Desde o ano passado, a Agência Nacional de Segurança do Medicamento e dos Produtos de Saúde da França alerta que esse tipo de fármaco pode agravar infecções durante tratamentos.

O Ministério da Saúde do Brasil divulgou nota afirmando que não foram verificados problemas no uso de Inibidores de Enzima Conversora de Angiotensina (IECA), prescritos para tratamento da hipertensão arterial, e dos Bloqueadores de Receptores de Angiotensina (BRA), usados no tratamento de insuficiência cardíaca, entre pacientes que tenham contraído a Covid-19.

Conforme o documento, em linha com a Sociedade Brasileira de Cardiologia, não há “evidências definitivas” que esses medicamentos possam ser “fator de risco de gravidade” para pessoas com o novo coronavírus e que já sofram com hipertensão, insuficiência cardíaca e também diabetes. Dessa forma, a nota recomenda que “os pacientes não interrompam seus tratamentos de medicamentos IECA ou BRA, principalmente sem recomendação médica”. (Com informações da Agência Brasil)