Pai teria admitido à Corte que matou a filha em Massachusetts

Investigadores disseram que Walter da Silva estaria chateado porque a filha estaria saindo com um homem mais velho

0
6921
Walter da Silva teria confessado que matou a filha
Walter da Silva teria confessado que matou a filha

O brasileiro Walter da Silva, de 45 anos, morador em Danbury (CT), acusado na segunda-feira (8) de ter matado a tiros a filha Sabrina da Silva, de 19 anos, no dia 3 de julho, alegou ter cometido o crime porque a jovem estaria envolvida com um homem mais velho, segundo documentos do tribunal. As informações são do jornal South Coast Today.

“Eu a matei”, teria dito Silva aos investigadores na sexta-feira (5), depois de ser preso como fugitivo da justiça devido à uma ordem de prisão emitida pelo Condado de Middlesex, conforme documentos na Corte Distrital de New Bedford.

A ordem de prisão é resultado da condenação de Walter em 2002 por agressão com agravante e tentativa de assassinar com uma faca a ex-esposa, Lilian Silva, mãe de Sabrina.

De acordo com o jornal The Boston Globe, Sabrina foi criada apenas pela mãe, que se afastou de Walter por seu comportamento agressivo. No entanto, o homem continuou a procurar Lilian e ameaçar a família. Após cumprir pena pela tentativa de homicídio, Walter recebeu liberdade condicional e voltou para o Brasil.

Sabrina retomou o contato com o pai recentemente, quando ele retornou aos Estados Unidos. Segundo Lilian, os dois conversavam com frequência via Skype e a jovem foi visitá-lo na cidade de Connecticut, em maio. “Eu não podia dizer nada porque ela tinha 19 anos. Não podia forçá-la a parar de falar com o pai”, afirmou Lilian. “Quero muito ouvir o que ele tem a dizer, quero justiça”, declarou.

O crime

Sabrina, segundo documentos na Corte, teria chamado o pai de “assassino”, “psicótico e violento” em mensagens trocadas no celular , “algumas vezes, eu acho que você quer me matar”, e acrescentou que tinha medo dele. “Você irá para a prisão novamente, pois é lá onde eu te quero te colocar”, diz o texto.

A confissão de Silva ocorreu antes de às polícias Estadual de New Bedford relatarem que o carro que ele pegou emprestado em Connecticut foi filmado por uma câmera de segurança em New Bedford às 7:22 e 10:28 da noite, próximo à cena do crime, em 3 de julho. Sabrina foi baleada 9 vezes, aproximadamente às 10:10 pm, e morta no estacionamento do conjunto habitacional Verdean Gardens, onde ela morava.

Walter, que trajava capuz e máscara, discutiu com a filha antes de matá-la, segundo documentos no tribunal. Ele agarrou um braço da vítima, ela se desvencilhou, ele a seguiu e atirou 5 vezes em suas costas e na cabeça. Silva teria dito aos investigadores que se sentiu “desrespeitado” porque ela namorava um homem mais velho.

“Inicialmente, ele afirmou que veio e New Bedford para matar Sabrina e seu namorado mais velho e até pensou em matar a mãe da jovem, mas decidiu somente a Sabrina para que ele e a filha pudessem ambos irem para o inferno como resultado”, segundo documentos na Corte.

Sabrina foi assassinada a sangue frio
Sabrina foi assassinada a sangue frio