Papa diz que planos imigratórios de Donald Trump “não são cristãos”

Francisco reza missa na fronteira com o México e critica política imigratória que coloca imigrantes nas mãos de “traficantes humanos e de drogas”

0
1686

DA REDAÇÃO (com Agências) – Depois de rezar missa na fronteira entre México e Estados Unidos, o Papa Francisco disse que o pré-candidato Republicano à presidência, Donald Trump, “não é cristão”, por causa de suas ideias a respeito da imigração. Francisco afirmou, entretanto, que não quer influenciar o voto dos católicos americanos no sentido de votarem ou não em Trump.

Em conversa informal a bordo do avião que o levou de volta a Roma, um repórter perguntou ao Papa o que ele achava da promessa de Trump de construir um muro entre EUA e México caso seja eleito presidente. “Uma pessoa que pensa somente em construir muros, onde quer que sejam, não é cristã”, respondeu Francisco. “Isso não está nas escrituras”.

Perguntado se recomendaria aos católicos americanos para não votarem em Trump, o Papa disse que não quer se envolver. “Digo apenas que este homem não é cristão, caso ele tenha mesmo afirmado essas coisas. Temos que comprovar se ele disse mesmo isso, e por essa razão dou-lhe o benefício da dúvida.”

Em seu último dia de visita ao México, Francisco rezou missa na fronteira entre os dois países. Na homilia, criticou as políticas imigratórias que colocam as pessoas na clandestinidade e nas mãos de traficantes humanos e de drogas.

Trump, que lidera as pesquisas para a indicação Republicana para disputar a presidência em novembro, tem sido duro com os imigrantes indocumentados, ameaçando deportar milhões de pessoas caso venças as eleições. Na semana passada, ele disse à Fox Business que o Papa não sabe o que está acontecendo na fronteira com o México. “O Papa é uma pessoa política. Acho que ele não compreende os problemas deste País. Acho que ele não sabe do perigo que representa a fronteira com o México aberta”, disse o pré-candidato.

Questionado sobre o que pensava sobre ser chamado de “pessoa política”, Francisco disse que “graças a Deus ele disse que eu sou uma pessoa política, porque Aristóteles definiu o ser humano como um ‘animal politicus’. Isso pelo menos quer dizer que eu sou um ser humano.”