Para obter visto de turista, brasileiro apresenta carteira falsa de policial e é preso

Suspeito foi detido ao apresentar documento falso da Polícia Civil de Goiás na Embaixada dos EUA em Brasília; ele tentava autorização para viajar com a mulher e dois filhos

0
10554
Brasileiro apresentou doc
Brasileiro apresentou doc

Um brasileiro de 35 anos foi preso na quarta-feira (12) ao se passar por policial civil e apresentar um documento falso na embaixada dos Estados Unidos, em Brasília, para obter o visto de turista para ele, a esposa e dois filhos. Segundo a Polícia Civil do Distrito Federal, Deyvid Charles Magalhães Costa tentava se passar por policial para conseguir o visto com mais facilidade. As informações são do G1.

Costa foi descoberto durante a entrevista presencial. De acordo com o delegado João de Ataliba, a segurança da embaixada desconfiou do documento apresentado e chamou a polícia.

“Ele apresentou a funcional de agente da Polícia Civil de Goiás e dizia que trabalhava na 5ª DP, em Goiânia, mas o campo do CPF, na carteira, estava no local errado.”

O delegado disse que ao conferir os dados do documento com a Segurança Pública do estado de Goiás, a pasta negou que Costa fosse policial. O suspeito foi detido na saída da embaixada.

Costa está preso na carceragem da 1ª Delegacia de Polícia, na Asa Sul, em Brasília. A mulher e os filhos foram liberados.

Ao ser preso, Costa teria confessado a falsificação do documento, segundo a Polícia Civil do DF. “Ele disse que estava sendo ameaçado de morte e, por isso, precisava sair do país”. Na delegacia, o suspeito permaneceu calado.

De acordo com as investigações, o falso agente trabalhava como motorista de transporte privado por aplicativo, em Trindade (GO). Ele também tem passagens pela polícia, por tráfico, segundo Ataliba. Ainda não se sabe se Costa usou o documento para obter vantagens.

Mentir na entrevista do visto

O advogado de imigração Ludo Gardini disse ao AcheiUSA que tem diversos clientes que sofrem as consequências por terem mentido para a imigração, seja em formulários de vistos, seja no consulado ou seja no preenchimento de documentos nos EUA. “Nunca minta para a imigração. Hoje, com toda a tecnologia e cruzamento de dados que eles têm disponíveis, é quase impossível mentir para eles. Mesmo que o consulado não detecte a mentira no Brasil, a coisa pode entortar aqui dentro”, disse o advogado.

Gardini relata que já teve um cliente preso por ter mentido e acabou perdendo o green card. “Eles estão dificultando cada vez mais a legalização das pessoas. Colocando diversos empecilhos e buscando qualquer tipo de rastro que porventura a pessoas possam ter deixado. Eles estão também trocando informações com a Polícia Federal brasileira. Ou seja, não minta. Aja dentro da lei que tudo dará certo”, finaliza Gardini.